Entidades denunciam irregularidades no Banco Mãe de Sementes em Lagoa Seca

As entidades de agricultores vinculadas ao Pólo Sindical e das Entidades do Compartimento da Borborema realizaram um ato público de protesto pela não conclusão das obras do Banco Mãe de Sementes que deveria ter sido concluído e entregue desde o primeiro semestre de 2008 e até agora se encontra num verdadeiro abandono, indignando as famílias de agricultores e as entidades da sociedade civil de todos os municípios do Compartimento da Borborema.

style=COLOR: black>O evento aconteceu na tarde da última segunda-feira(06/04) no local onde deveria está funcionando o empreendimento e na ocasião as entidades distribuíram um amplo relatório da situação daquela casa inacabada. No documento as entidades denunciam os principais problemas que são visivelmente observados a exemplo de ausência de abrigo do cais e calhas direcionadas para carga e descarga; estruturação metálica da cobertura com grau elevado de oxidação; instalações elétricas incompletas ou inexistentes; reservatório de água com ampla irregularidade; erosão no terreno, colocando em risco toda a estrutura das edificações dentre inúmeras outras irregularidades.

Segundo o representante do Pólo Sindical da Borborema e diretor do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Lagoa Seca, Nelson Ferreira dos Santos, a realidade enfrentada representa um atraso quando se trata de políticas de governo relacionadas a agricultura familiar que, segundo ele, tem tido poucas prioridades por parte das autoridades já que trata-se de um segmento que atua numa atividade de muito risco. “Por isso é que o Pólo Sindical se juntou aos sindicatos exatamente para levar isso para a imprensa paraibana e para as autoridades denunciando o descaso porque nós entendemos que quatro anos para concluir uma obra que vai servir aos agricultores familiares e vai abrigar a política de bancos de sementes com todo o conteúdo e toda a trajetória e conhecimentos dos agricultores, é tempo demais, local para acolher as sementes que são plantadas e domesticadas pelos agricultores, sementes que herdamos de nossos avós, um banco de sementes que vem abrigar tudo de nós no campo da formação, da mobilização e conscientização então é preciso que tenhamos a conclusão de forma urgente”, argumenta Ferreira.

Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais da cidade de Alagoa Nova e coordenador do Pólo Sindical, Manoel Antônio de Oliveira, Nequinho, a falta da conclusão representa grande prejuízo para as famílias de agricultores e agricultoras de toda a região já que está deixando de atender a mais de quatro mil famílias que esperam no empreendimento o local próprio para guardar sementes de variedades diversas que serão suporte para a agricultura familiar regional.

Ele garante que as entidades vão procurar o Ministério Público para que as medidas sejam tomadas. “Vamos colocar no Ministério Público para sabermos quem é o culpado desta obra estar inacabada e sem ninguém saber onde o dinheiro anda”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top