Entidades paraibanas participam de Congresso Brasileiro e Latinoamericano de Agroecologia no Paraná

Antes, durante e depois do acontecimento do VI Congresso Brasileiro e o II Congresso Latinoamericano de Agroecologia que aconteceu no período de 9 a 12 deste mês, em Curitiba-PR, o Stúdio Rural evidenciou o evento que reuniu experiência com agroecologia dos estados brasileiros e de estados de países da América Latina. Da Paraíba participaram entidades diversas de agricultores e agricultoras familiares das diversas microrregiões que apresentam através de diversas.

Os eventos foram promovidos pela Associação Brasileira de Agroecologia-ABA e pela Sociedade Latinoamericana de Agroecologia-SOCLA, numa organizados do Governo do Estado do Paraná com apoio de diversas entidades da sociedade civil.

Para a representante do Heifer, Marilene Nascimento, o que mais chamou a atenção dela foi o fato do evento reunir elevado número de pessoas e entidades com experimentos práticos do Brasil e da América Latina já que a expectativa era de aproximadamente 2500 pessoas e ultrapassou 4 mil pessoas e experiências práticas. “Acho que a forte presença da Paraíba lá pelas próprias organizações da agricultura familiar, pelos técnicos e também pelos setores da pesquisa presente lá de forte intensa, significa que na Paraíba já vem se construindo a bastante tempo esse processo aqui e que são experiências que contribuem para alimentar o debate nacional e vise e versa”.

A agricultora e representante das entidades do Pólo Sindical e das Entidades da Borborema, Roselita Victor, disse que foi um momento importante para dar visibilidade á agricultura familiar agroecológica e que as entidades do Pólo fizeram uma exposição de como tem-se construído conhecimentos agroecológicos a partir da leitura da realidade, da construção coletiva e da valorização do papel dos agricultores e agricultoras mostrando que a agricultura familiar é importante em todo o país para a segurança alimentar das famílias e forte geradora de emprego e renda.

O representante da Embrapa Algodão, Heleno Alves de Freitas, ao falar com os ouvintes do Programa Domingo Rural em Rede e Esperança no Campo, disse que a Embrapa participou com diversas pesquisas e experiências espalhadas em todo o território nacional, especialmente o Nordeste que tem destaque com produção agroecológica do algodão e da fruticultura. “Do Nordeste estava a Embrapa Algodão, Embrapa Semiárido, Embrapa Meio Norte, Embrapa Tabuleiros Costeiros, Embrapa Agroindústria Tropical, Embrapa Caprinos e Embrapa Mandioca e Fruticultura também estava a diretora da Embrapa doutora Tatiana para fortalecer e mostrar aos movimentos sociais e a sociedade como um todo e aos movimentos da agroecologia que a Embrapa, por uma determinação do Governo Lula, ela tem que pesquisar, tem que se integrar e tem se envolver em toda a temática da agroecologia”.

José Paulino é da Emater de Esperança-PB e disse ter participado juntamente com 11 técnicos paraibanos que deram ampla contribuição já que participaram técnicos com experiências no processo de produção rural com agroecologia e garante que a exemplo da Embrapa, a Emater teve ampla participação com técnicos extensionistas de todo o país.

Já o representante da AS-PTA, Luciano Silveira, disse que as Organizações Não Governamentais participaram de forma integrada com agricultores experimentadores e entidades levando experiências em agroecologia desenvolvidas em todo o Brasil e integradas com as ações sustentáveis de todo o espaço Latino Americano e disse que ficou claro o papel exercido pela agricultura familiar e sobre as expectativas de novo rumo dessa agricultura no modelo de produção agroecológica.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top