Estudantes de ensino médio conhecem produtos biológicos para controle de mosquitos

Nesta quinta-feira(05) à tarde, como parte das atividades do Fórum Ciência e Sociedade 2008, mais de 70 alunos de ensino médio do Distrito Federal conheceram de perto as pesquisas da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia na área de controle biológico que levaram ao desenvolvimento do inseticida biológico Bt-horus para controlar o mosquito transmissor da dengue.

Segundo a assessora de comunicação daquela unidade de pesquisas, Fernanda Diniz, os jovens assistiram à palestra apresentada pelo cientista Felipe Rosa Ramos, mestre em ciências agrárias pela Universidade de Brasília – UnB, que compõe a equipe da pesquisadora Rose Monnerat, na qual explicou o passo a passo das pesquisas que levaram ao desenvolvimento do bioinseticida. “O produto foi desenvolvido, em parceria com a empresa do DF Bthek Biotecnologia, a partir de uma bactéria específica para controlar o inseto-alvo sendo, portanto, inofensivo à saúde humana, de animais e ao meio ambiente”, explica a jornalista ao dialogar com Stúdio Rural, acrescentando que os estudantes demonstraram muito interesse pelos bons resultados que o Bt-horus vem alcançando em várias cidades brasileiras onde vem sendo utilizado, como São Sebastião, no Distrito Federal; Sorriso, Mato Grosso e Rio das Ostras, no Rio de Janeiro.

Diniz informou que o aluno do 1º ano do ensino médio do Cefagro – Centro de Ensino Fundamental Agrourbano disse está muito feliz em saber que existem cientistas no Brasil trabalhando pela saúde das pessoas e do meio ambiente.

Ela informou que a proposta do Fórum é ser uma atividade de divulgação científica e de educação não formal, reunindo alunos e professores do ensino médio e pesquisadores-cientistas objetivando contribuir para a formação e o enriquecimento da cultura científica do jovem; colaborar para despertar vocações científicas; aproximar comunidade científica e comunidade escolar; formar uma rede de multiplicadores do debate sobre ciência, tecnologia, ambiente, saúde e qualidade de vida; oferecer uma atividade de abertura da escola e de contato com o campo da pesquisa e estimular a articulação de atores que convivem e atuam em um mesmo território, propondo um modelo a ser apropriado e desenvolvido em sistema de rede.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top