Federação realiza plenárias em cidades paraibanas discutindo a apicultura e meliponicultura de todo o estado

SR251218aA Federação de Apicultura e Meliponicultura da Paraíba(FEAMEPB) realizou duas plenárias de criadores e criadoras de abelhas do estado da Paraíba.

Um evento aconteceu no último dia 18, na cidade de Patos; e o outro aconteceu em Campina Grande, dia 21 e teve como estratégia aproximar as ações da entidade pra mais próximos dos empreendedores da apicultura e meliponicultura paraibana fazendo um balanço do ano 2018, planejamento para o ano 2019, prestação de contas, entrega de certificados dentre outras.

Participando do Programa Esperança no Campo e Programa Domingo Rural do último final semana, o diretor da entidade, Leon Denis Batista do Carmo, falou sobre a diversidade de entendimentos colocados em pauta e garante que a categoria que sobreviveu a seca de 2012 a 2017 desenvolverá diversas estratégias para melhorar a capacidade de produção e produtividade no ano de 2019 objetivando fortalecer a diversidade na agricultura familiar. “Esse ano nós realizamos algumas ações mais voltadas a parte de participação com os nossos apicultores por todo o estado, isso foi uma meta que foi traçada em 2017, e em 2019 nós vamos montar mais um plano de trabalho baseado nas demandas que nós ouvimos nessas últimas plenárias pra que quando a gente inicie, lá no mês de fevereiro, a gente já comece a pôr em prática esse plano de ação e fizemos um chamamento aos criadores de abelhas para que possam se filiar na federação, fortalecer a entidade, porque dessa forma a gente vai conseguir uma entidade forte, representativa para ir buscar as tantas necessidades que a gente encontra com a criação de abelhas do estado. Então nós almejamos alguns projetos para desenvolver ainda mais a atividade, a gente vai trabalhar muito a questão da organização das associações, das cooperativas, trabalhar muito com eles essa questão da gestão, porque é um gargalo que a gente percebe no setor a fragilidade no associativismo e no cooperativismo e essas duas formas de se trabalhar são a base de tudo”, explica Denis.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo