Liderança cearense evidencia produção agroecológica do algodão naquele estado nordestino

A produção de algodão agroecológico apresenta-se como uma das alternativas de suporte para o fortalecimento da agricultura familiar na região semi-árida nordestina, região marcada por um passado que registrou uma das maiores produções de algodão do mundo e hoje enfrenta uma realidade de desemprego no campo em conseqüência da queda da produção da cultura vitimada pela praga do bicudo no início dos anos 1980 e que pouco a pouco as entidades de agricultores e agricultoras buscam alternativas para a revitalização dentro de novas formas de produção que leve em consideração a sustentabilidade do meio ambiente dentre outros.

O Ceará é um dos exemplos de que a cultura pouco a pouco voltará a fazer parte da vida econômica de toda a região semi-árida brasileira. Naquele estado os agricultores vêm fazendo um trabalho com a cultura do algodão de forma agroecológica, modelo no qual o combate as pragas se dar com produtos naturais e o manejo correto do solo é parte da dinâmica para manter o solo vivificado e resistente as condições do ambiente equilibrando a relação dos insetos e evitando que se transformem em pragas.

Segundo o assessor técnico do ESPLAR, Centro de Pesquisa e Assessoria, no Ceará, agrônomo Pedro Jorge de Lima(foto), famílias de agricultores de cerca de 07 municípios do Sertão cearense estão fazendo um trabalho com a produção agroecológica do algodão, trabalho que já envolve produção, agregação de valor ao produto e mercado.

Ao dialogar com a equipe Stúdio Rural, Pedro Jorge informou que, com o apoio das entidades de agricultores, pesquisas, governamentais e não governamentais, passos importantes foram dados na cadeia produtiva, justificando que entre o ano de 1993 e 2003 as safras ficavam encalhadas e que com a parceria estabelecida com a empresa francesa, Veja Fair Trede, estão sendo celebrados contratos com preços pré-estabelecidos fazendo com que os agricultores se interessassem pela produção.

Veja Fair Trede é responsável pela fabricação do tênis Veja que já é vendida no mercado do Japão, França, Inglaterra dentre outras, fruto de produtos do algodão agroecológico produzido por famílias de agricultores cearenses, borracha da Amazônia e couro de ovinos do Rio Grande do Sul.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top