Mandioca, seus produtos e seu mercado são temas trabalhados em seminário no município Mari

Tratar sobre o cultivo da mandioca, subprodutos e seu mercado foi meta alcançada pelos expositores dentro do 1º Seminário estadual de mandioca que aconteceu durante os dias 17 e 18 deste mês na cidade de Mari, Mata Paraibana. “A avaliação é muito positiva, nós tivemos um público superior ao planejado, a gente havia estabelecido como meta para 120 pessoas e compareceram 177 pessoas, 35 municípios de cinco estados diferentes dentro de um evento de alto nível onde a gente tinha vários doutores da Embrapa, da universidade também, aqui de vários órgãos do Estado, secretários de agricultura de vários municípios, produtores rurais, agricultores familiares e também empresários da mandiocultura do Rio Grande do Norte, empresários de Pernambuco e também da Paraíba que lidam com a questão do beneficiamento e processamento da mandioca”, explica o secretário de agricultora daquele município, Severino Ramos Nascimento, em contato com nosso público ouvinte do Programa Esperança no Campo e Programa Domingo Rural.    

Ramos explicou que cinco pontos importantes foram pactuados pelas parceiras no sentido de fortalecer a mandiocultura no município e região. “Primeiro a gente teve o compromisso das instituições aqui presentes de que irão apoiar o arranjo produtivo da mandioca aqui no município de Mari com a busca da construção de uma estrutura que possa fazer a extração da goma, do amido da fécula da mandioca num compromisso assumido; o outro foi com o Senar que está colocando 25 vagas para capacitação de produtores de mandioca aqui no município no processo de assistência técnica de um ano trabalhando toda a organização da propriedade e também da produção de mandioca com a inserção de tecnologias apropriadas; também tivemos outro compromisso importante assumido pela Embrapa Cruz das Almas, Bahia, de que vai estar à disposição para transferência de tecnologias daquele centro que é o maior centro de tecnologia de conhecimento na área de mandiocultura”, exemplifica aquele secretário em contato com nosso público ouvinte. “E ao final a gente tirou a Carta de Mari que trata de todas as questões ligadas a mandiocultura, ou seja, aqueles pontos de estrangulamento de problemas com a cultura de mandioca no estado, a baixa produtividade, a baixa tecnologia usada, falta de industrialização para o processamento e beneficiamento agregando valor, a ausência de políticas públicas também direcionadas a esse setor e a carta apresenta também uma série de sugestões para que os gestores públicos de diferentes esferas de governos possam trabalhar em apresentar políticas públicas para o fortalecimento dessa cultura tão importante para a alimentação humana e também alimentação animal”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top