Pesquisadores canadenses visitam empreendimentos com algodão colorido na Paraíba

No decorrer da semana passada a Paraíba foi visitada por pesquisadores do Canadá interessados em empreendimentos com novas tecnologias no estado a exemplo da cadeia produtiva do algodão colorido e agroecológico desenvolvido pela Embrapa Algodão e adotado por style=mso-spacerun: yes>  famílias agricultores em parceira com empresas interessadas na agregação de valor aos produtos do cotonicultura.

Do Canadá vieram o professor pesquisador do Centro de Pesquisa em Política e Ciência e Tecnologia, da Universidade Simon Fraser, Bruno Silvestre, acompanhado da professora pesquisadora da University of Guelph, Nonita T. Yap que em Campina Grande visitaram a Embrapa Algodão e a empresa Coopnatural dentre outros empreendimentos e atividades.

No último dia 21 os pesquisadores visitaram a Embrapa interessados na tecnologia do algodão colorido e conversaram com o pesquisador Luiz Paulo de Carvalho e a chefe do setor de comunicação e negócio daquela casa de pesquisas, Nair Helena Castro Arriel que falaram sobre o trabalho de pesquisa e extensão que vem sendo feito para agricultores e empresas interessadas no processo da cultura e, no mesmo dia, acompanhados de componentes da Embrapa os canadenses visitaram o Coopnatural e dialogaram com a empresária paraibana, Maysa Motta Gadelha, que falou sobre como é trabalhado a relação da Coopnatural com a empresa de pesquisas, com as comunidades agricultoras através de suas representações e com os setores governamentais na busca de mais alternativas para a cultura associada ao modelo diversificado da agricultura familiar regional.

A empresária paraibana e representante da Coopnatural, Maysa Motta Gadelha, falou para os visitantes sobre o trabalho que é desenvolvido por aquela empresa envolvendo comunidades completas de agricultores e agricultoras que têm na empresa o apoio de forma socioambientalmente justa além de reunir empresas que buscam agregar valor ao produto e conquistar mercado para o produzido. Gadelha informou que a Coopnatural trabalha numa cadeia ampla, fazendo parte da Rede Paraíba de Algodão Agroecológico composta por mais de 230 famílias agricultoras produzindo o algodão agroecológico e acrescentou que a cooperativa já tem mais de vinte grupos artesanais trabalhando as mais diferentes tipologias e técnicas artesanais que podem ser colocadas para enfeitar as peças feitas a partir do algodão. “Então nós temos na nossa coleção de verão, por exemplo, lançamentos com renascença, com labirinto, com crochê, com macramê, com aplicação, com bordado manual e isso além de as peças ficarem mais bonitas, o principal é que vai beneficiar vários grupos que trabalham com essas técnicas”, explica a empresária paraibana.

Bruno Silvestre, ao conversar com Stúdio Rural, disse que é um projeto do governo canadense que tem como objetivo estudar alguns aglomerados ou arranjos produtivos locais na área agrícola, de serviços e industrial e fazer comparações com trabalhos da mesma natureza que estão sendo desenvolvidos no Vietnã onde na primeira faze competem três arranjos produtivos em cada país que passarão por avaliações e serão escolhidos para que o Canadá possa tirar lições das experiências de sucesso nesses países.

O pesquisador Luiz Paulo de Carvalho falou sobre a pesquisa desenvolvida pela Embrapa a exemplo de como e onde se desenvolve esse trabalho e garante que a Embrapa está bem avançada em termo de pesquisa algodoeira. “A Embrapa hoje é bem reconhecida pelo trabalho que é feito, eu tive a oportunidade de visitar recentemente dois países da antiga União Soviética, Cazaquistão e Bequistão e eles querem cooperação com o Brasil na parte de agricultura e então quando nós chegamos lá, em todas as reuniões que a gente participava com autoridades de lá, a primeira coisa que eles falavam é que o Brasil está muito avançado na agricultura e que o Brasil é uma potência agrícola e isso enchia de orgulho e realmente o Brasil tem tudo prá ter uma agricultura cada vez mais forte e não só a Embrapa, mas as universidades também têm importante participação nisso aí”, ilustra Luiz Paulo ao dialogar com os ouvintes das emissoras parceiras de Stúdio Rural.

Aquelas autoridades canadenses visitaram experiências na Região Sudeste brasileira, no estado de Pernambuco e na Paraíba, em Campina Grande, Monteiro e Ribeira de Cabaceiras dentre outras.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top