Recursos Genéticos promove curso sobre cultivo de cogumelos

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, vai promover em parceria com a FUNARBE – Fundação Arthur Bernardes, um curso sobre o cultivo de cogumelos a partir de uma tecnologia chinesa adaptada para o Brasil, denominada Jun-Cao, que permite baratear a produção desses fungos, já que utiliza substratos de gramíneas, ao invés de troncos de árvore e serragem, usados nos meios de cultivo tradicionais.

O curso será realizado na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (Parque Estação Biológica, final da Avenida W5 Norte, Brasília – DF), no período de 11 a 14 de julho. As inscrições podem ser feitas no endereço:

Segundo a assessora daquela unidade de pesquisas, Fernanda Diniz, em 1995, a pesquisadora da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Arailde Urben, trouxe essa técnica da China e adaptou-a para o Brasil e de lá para cá vem se preocupando em divulgá-la entre os produtores brasileiros, através de cursos, para tornar o cultivo de cogumelos mais popular no país, já que a produção desses fungos é ainda inexpressiva, quando comparada com outros países. “O consumo de cogumelos per capita no Brasil é de apenas 30g/ano, contra 2 kg na França, por exemplo”, argumenta a jornalista.

Ela informou que o Banco de Germoplasma de Cogumelos para Uso Humano da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia conta atualmente com mais de 200 espécies/linhagens de interesse alimentar e medicinal, incluindo: Oudemansiella canarii e Lentinus edodes (shiitake); Pleurotus ostreatus (shimeji ou hiratake) e Pleurotus ostreatoroseus (cogumelo salmon); Pleurotus flabeliforme; Flammulina velutipes (talo veludo); Hericium erinaceus (macaco branco); Auricularia auricula e Auricularia polytricha (orelha de judeu); Pleurotus erigii; Ganoderma lucidum (cogumelo rei).

Diniz disse, ainda, que na opinião da pesquisadora Arailde Urben, ainda há muito a ser feito para a divulgação dos cogumelos no país, acreditando ser de fundamental importância que a população conheça os benefícios desses alimentos para a nutrição e a saúde e passem a incluí-los em sua dieta alimentar e que por isso, a pesquisadora promove, no mínimo, dois cursos por ano em Brasília, além de outros realizados em diversas regiões para disseminar essa técnica de cultivo entre os produtores brasileiros.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top