Remígio inicia plantio de algodão agroecológico com perspectivas positivas

O município de Remígio, no Curimatau paraibano, já é destaque por produzir algodão agroecológico e colorido com um número de cerca de cem famílias comprometidas com a produção sustentável da cultura.

Stúdio Rural conversou com o agricultor José de Sinésio(foto), morador e produtor da cultura no Assentamento Queimadas, município de Remígio, sobre as perspectiva em torno da safra 2008. Sinésio informou que o plantio do algodão branco e colorido já foi plantado e que a expectativa para esta safra é de cerca de 100 hectares num trabalho que envolverá cerca de 60 famílias de agricultores trabalhando a cultura.

Ele disse que após os anos de experiência no processo de convivência com o bicudo as expectativas só aumentam já que as famílias adotaram práticas adequadas de plantio capazes de evitar a proliferação do inseto, evitando transformar-se em praga.

O plantio do algodão foi feito em consórcio, entre linhas, de feijão e coentro e, entre faixas sorgo, gergelim, feijão guandu dentre outros. “Eu estive conversando com os meninos da Universidade que estão lá estagiando, eles fizeram uns trabalhos e eu combinei com eles que esse ano agora de 2008 nós vamos fazer umas faixas com mamona”, explica Sinésio.

Ao contatar com Stúdio Rural Sinésio disse acreditar numa produção cerca de 80 toneladas do algodão que já conta com representação de mercado garantida. “O mercado é certo e sempre melhorando o preço, que esse ano mesmo em 2008 já vai aumentar o preço quando comparado ao que a gente vendeu em 2007”, esclarece.

Com relação á época de plantio ele disse que ainda é tempo de se desenvolver a plantação da cultura e que as pessoas interessadas procurem a Embrapa, Arribaçã, ASPTA, Emater, Sindicato e ou mesmo os agricultores naquele assentamento que estão dispostos em compartilhar informações. “É um prazer porque é sempre aparecendo mais e mais mercado pra comercializar o produto, o dinheiro é certo, o que tem acontecido com as empresas que temos comercializado é que o dinheiro chega antes do produto sair de casa”, comemora Sinésio com alegria, informando que no ano passado o algodão foi vendido ao preço de R$ 1,20 o quilo o que ele julga ser um ótimo negócio já que se trata de cultivos diversificados o que soma no orçamento das famílias produtoras.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top