Representações defendem aquisição de mais motoensiladeiras para o fortalecimento da pecuária

Baseados na importância da pecuária em toda a região do Território da Borborema é que os componentes governamentais e da sociedade civil presentes durante a entrega dos equipamentos em João pessoa na última quinta-feira(23) defenderam a necessidade de intensificar a aquisição de mais motoensiladeiras para o fortalecimento da cadeia produtiva da pecuária em todas as cidades da microrregião.

Em contato com Stúdio Rural o representante do Pólo Sindical e das Entidades da Borborema, Manoel Antônio de Oliveira, Nequinho, disse ser de fundamental importância a aquisição de mais equipamentos dessa natureza já que só vem fortalecer o rebanho de todos os municípios da região com construção de silos e o processo de fenação para que o alimento seja guardado em épocas apropriadas e usado em épocas de seca pelos animais. “Estão entregando treze equipamentos e dizendo que vem mais para que tenha condições de cobrir todo o território, disse Nequinho”.

O secretário nacional de desenvolvimento territorial do MDA, Humberto Oliveira, ao dialogar com Stúdio Rural disse que na parceria entre os governos municipais, estadual e federal é que as ações são desenvolvidas, baseadas na votação e construção dos projetos por todos os componentes territoriais e garante que o MDA tem toda disposição de continuar intensificando o projeto de fortalecimento da pecuária paraibana. “Sim pode(ser ampliado) porque é um projeto de abrangência territorial, então nós temos que fazer projetos dessa natureza, ou seja, financiar uma máquina no território não tem muito sentido do ponto de vista de uma ação estratégica de garantir suporte forrageiro. O que é que dar grandeza a esse projeto? É o fato de ele estar abrangendo 13 municípios, então nós precisamos cobrir todo o Território da Borborema onde cada um deles tenha pelo menos uma máquina dessas e acho que isso já está inclusive em discussão, em debate e nós vamos concluir style=mso-spacerun: yes>  essa distribuição das máquinas pra todos os municípios assim como o Projeto Banco Mão de Sementes que é um projeto extraordinário, 83 bancos comunitários da região, isso é um projeto muito particular porque semente hoje é um tema que está em discussão no mundo inteiro em função da questão da produção de alimentos e segurança alimentar e é um projeto que tem a cara da Borborema porque ali nasceu a experiência de cuidar das sementes tradicionais, das sementes crioulas que o povo trata isso com muito carinho como Sementes da Paixão”, afirma Humberto.

A representante do governo paraibano, Giucélia Figueiredo, falou sobre a importância de se intensificar esses projetos já que a sociedade está vivendo um momento ímpar na história política em razão da disposição que os governos estão tendo em dialogar com a sociedade organizada na busca de ações apropriadas que representem espaços de geração de trabalho, renda e inclusão social e afirma que o governo Maranhão tem toda a disposição para somar na parceria governamental na busca dessas ações sustentáveis. “Acho que é uma determinação, os territórios da cidadania vieram pra revolucionar não só no processo de organização mas também no processo de chegar junto para que as coisas realmente aconteçam com uma certa rapidez, então a determinação e você ouviu que a fala do representante do MDA, companheiro Humberto, é uma fala determinada e nós vamos conseguir a curto e médio prazo fazer com esse benefício chegue a todos os municípios”, argumentou a Secretária de Estado do Desenvolvimento Humano.

Já o delegado federal do MDA, Marenilson Batista da Silva, disse que a continuação do projeto só dependerá das representações territoriais que têm nas mãos a responsabilidade de votar quais os projetos que serão aplicados em benefício dos municípios e lembrou que o governo, como forma de democratizar os gastos e investimentos, faz a oferta de recursos para que as lideranças definam a ordem da aplicação dos recursos financeiros. “Recursos tem e nós entendemos que isso vai ser uma prioridade para os territórios, especialmente o Território da Borborema, mas sempre lembrando que é uma questão deliberativa e quem define é o colegiado”, AR-SA mso-bidi-language: PT-BR; mso-ansi-language: EN-US; mso-fareast-language: Roman?; New ?Times mso-bidi-font-family: Calibri; mso-fareast-font-family: ?Calibri?,?sans-serif?; FONT-FAMILY: 115%; LINE-HEIGHT: black; COLOR: 11pt;>relata Batista, afirmando que a intenção é que as ações cheguem aos 21 municípios do Território da Borborema.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top