Reunião discute desenvolvimento sustentável do abacaxi em assentamento de Araçagi e região

O Assentamento Santa Lúcia, no município de Araçagi, no brejo paraibano, sediou, na tarde da quinta-feira (7), a reunião que deu início ao Programa de Desenvolvimento Regional Sustentável (DRS) para a abacaxicultura na Zona da Mata Norte do Estado – a maior região produtora da fruta na Paraíba, projeto que projeto se baseia nas normas do Comércio Justo (Fair Trade) e Solidário e nos princípios do desenvolvimento sustentável, com atividades focadas nos três pilares de desenvolvimento: social, econômico e ambiental.

A informação é da assessora de comunicação do Incra-PB, Kalyandra Vaz, foi trabalhada no Programa Domingo Rural deste domingo(10/07) e, segundo aquela assessora, o projeto tem como estratégia de execução o planejamento participativo e a assistência técnica integrada às atividades que já estão sendo desenvolvidas na área por entidades como o Sebrae, o Banco do Brasil, o Banco do Nordeste, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Senar, a Emater-PB, a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop). “O objetivo, de acordo com Marta Batista Alves, da Capacitar Consultoria, é trabalhar, junto a assentados e agricultores familiares da Cooperativa dos Hortifrutigranjeiros de Araçagí, Itapororoca, Lagoa de Dentro e Adjacências (Cooperfruta), sediada no Assentamento Santa Lúcia, a gestão organizacional e de produção”, explica Kalyandra.

Vaz informou que a programação do encontro foi aberta com a palestra de implantação do DRS apresentada por Edvaldo Barbosa, do Banco do Brasil, que em seguida, o agricultor José Manoel do Nascimento, presidente da Cooperativa dos Agricultores das Frutas da Paz (Cooapaz), que reúne agricultores familiares do Assentamento Fazenda da Paz, em Maxaranguape (RN), proferiu palestra sobre os benefícios da certificação Comércio Justo.

Trabalho em cooperativa e comentou que para o diretor de vendas da Cooperfruta e presidente da Associação de Produtores de Abacaxi do Município de Itapororoca, Francisco Alves de Paiva, o trabalho em cooperativa cria novas oportunidades para o agricultor. “A intenção da Cooperfruta é, primeiramente, de acordo com Francisco, atender o mercado interno e aumentar a quantidade e a qualidade do abacaxi produzido pelas famílias cooperadas”, informa aquela assessora, acrescentando que a Cooperfruta, situada no Assentamento Santa Lúcia, zona rural de Araçagí, foi criada em junho de 2010 com a finalidade de desenvolver as atividades hortifrutigranjeiras dos assentados da região, especialmente da cultura do abacaxi.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top