Secretários da prefeitura de Queimadas se reúnem com CMDRS, falam de ações e continuação de trabalhos

Numa ampla reunião com participação de representações das associações de agricultores, Emater, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Queimadas dentre outras componentes do CMDRS, Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável é que os secretários da Infraestrutura, Paulo Severo do Nascimento e da Agricultura Ivanilson Rodrigues da Silva, Palôla participaram fazendo uma apresentação das ações empreendidas durantes os meses recentes em benefício do meio rural queimadense.

A reunião aconteceu no dia 13 de fevereiro, na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e contou, também, com a presença do secretário adjunto da Agricultura, Gilmar Aragão e com o coordenador de Obras e Estradas, Raimundo Lopes de Farias que reforçaram as informações sobre o conjunto das ações que estão sendo desenvolvidas no município e sobre as ações e obras que serão desenvolvidas durante os meses próximos recentes deste semestre do ano.

Ao dialogar com os ouvintes do Programa Universo Rural e Domingo Rural, Raimundo Farias falou sobre a importância da reunião promovida pelo Conselho e fez um balanço das ações empreendidas nas diversas comunidades do município de Queimadas. “É de muita importância essa reunião, para nós é salutar debatermos problemas de cada comunidade, de sorte que a gente está pra ouvir os pleitos e dentro da possibilidade da administração nós atendermos esses devidos pleitos”, explica Raimundo Farias acrescentando que muitos trabalhos estão sendo feitos e foram apresentados na reunião. “Na verdade o prefeito com sua sapiência analisando como estava essa pasta que é muito ampla, dividiu essa pasta e nos convocou a partir de setembro de 2013 para que nós pudéssemos assumir essa devida pasta e implantássemos critérios com muita veemência para que viesse surtir efeitos neste devido setor, nessa coordenação e meu nome foi bastante solicitado não só por Jacó, mas também pelas comunidades e isso me deixou bastante envaidecido e me conforta e me fortalece para que eu possa fazer um trabalho com muita eficiência”, relata afirmando que até aquele momento, mais de 70% das estradas vicinais do município estavam prontas para o perfeito trânsito na zona rural do município.

Gilmar Aragão é secretário adjunto da Agricultura e, ao falar com Stúdio Rural falou da importância desse convite do CMDRS e sobre o conjunto das ações desenvolvidas pela gestão municipal em favor da agricultura do município enquanto pedida do Conselho junto ao prefeito Jacó Maciel em reuniões e encontros acontecidos no ano de 2013. “Com certeza o conselho é sempre um grande espaço pra se discutir as políticas públicas do município, a gestão sempre esteve aberta a essas discussões e agora muito mais integrada com as ações chegando, as lideranças de associações opinando, reivindicando, que com certeza esse é o papel da entidade civil e a gente enquanto gestão, enquanto governo o prefeito tem sempre se preocupado em atender as demandas dessas comunidades”, explica falando das limitações, do processo de organização no atendimento gradativo no atendimento do corte de terras e compra e entrega de sementes produzidas no município, comprada pela gestão pública municipal e por ela feito a distribuição do produto para a safra 2014 em benefício da agricultura familiar municipal.

Wlademir Santos Araújo é assessor técnico da Emater Queimadense, participou do encontro recepcionando a oferta de trabalho prestado pelas secretarias daquela prefeitura e falou das ações integradas da Emater junto as diversas entidades em favor da agricultura e pecuária municipal. “Desde o ano passado nós fizemos diversos projetos pelo Pronaf já visando e tentando colocar junto aos agricultores a necessidade de cisternas e no projeto a gente colocar os silos em que fazemos várias formas de acomodação desse material para que durante o ano não sobre e esse ano temos outros projetos em que estamos incluindo sempre com alternativas para superar esses entraves, porque a gente sabe que a gente vive numa região semiárida. Queimadas, por exemplo, agora em janeiro segundo levantamento choveu apenas 3,6 milímetros e isso é muito pouco para uma região como a nossa, seria chuva quase de deserto. Então em todas as reuniões que a gente vai a gente tenta colocar como prioridade guardar água e guardar ração para os animais”, explica aquele extensionista, ao dialogar com os ouvintes de nossas emissoras parceiras.

Sônia Magali Vieira de Sá é presidente do CMDRS, dialogou com Stúdio Rural justificando que aquele conselho tem assumido o papel de trabalhar junto aos diversos órgãos municipais ligados ao mundo rural integrado com o meio urbano, objetivando o desenvolvimento sustentável do município como um todo, que a reunião do dia 13 apresentou excelentes resultados e que outras secretarias do governo serão chamadas para compartilharem entraves e soluções a partir da oferta de cobranças e sugestões por parte das representações sociais componentes daquele conselho. “Essa reunião foi proveitosa junto a Secretaria de agricultura em que tínhamos algumas dúvidas e hoje foi esclarecida em trabalhos e uma forma de estar cobrando, porque as chuvas estão chegando aí e a gente precisa que as máquinas trabalhem no sentido de limpeza de açudes, barragens, e a minha preocupação é essa em ver que ainda não estavam sendo feitas e tivemos o resultado aqui, pelo menos em palavras, de que iriam se empenhar nesse sentido. Espero que sim e se não, estaremos pra cobrar”, explica aquela liderança dizendo que o Conselho pretende fazer com que as parcerias se intensifiquem e estabeleçam-se, em especial no uso das máquinas do PAC 2 que chegaram e estão chegando com o propósito de ser exclusivas para a agricultura familiar que historicamente esteve em terceiro plano nas políticas nacionais e agora passa a figurar como prioridade, graças ao modelo de organização social e política via territórios de Territórios de Desenvolvimento Rural Sustentáveis e da Cidadania. “Estou convidando todas as secretarias e em cada reunião estou frisando bem que: estamos aqui pra cobrar, pra ver o que está certo, o que está errado pra tentarmos concertar”.

Angineide Pereira de Macedo é vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, participou do encontro e do Programa Domingo Rural e Universo Rural falando sobre a intervenção das entidades da agricultura familiar na gestão pública municipal a partir da organização via Conselho Municipal do Desenvolvimento Rural Sustentável e garante que a parceria entre a gestão pública e sociedade organizada parece estar indo para o caminho certo que á o processo participativo via representações sociais do segmento. “A gente espera que as coisas aconteçam, a gente sabe que as obras estão em andamento, o corte de terra restar pra começar, a gente espera que a tendência seja essa de atender aos agricultores numa forma cada vez melhor e que tenha uma satisfação realmente com sugestão porque a gente sabe que é do nosso bolso que sai o solário dessas pessoas que estão lá pra nos apoiar, pra nos representar. Então a gente precisa acompanhar mais de perto para que essas ações sejam realmente realizadas. É bom quando se dar uma resposta quando a gente chamou eles vieram e achei que isso foi muito importante já que a gente teve uma conversa de perto e sabe que está sendo feito alguma coisa, mas a gente ainda precisa acompanhar também”, explica dizendo que avanços importantes já foram dadas na construção de uma administração pública municipal mais participativa. “Acredito que as políticas estejam melhores sintonizadas, porque a gente estar discutindo lá nos territórios, a gente sair dos nossos municípios pra ir discutir a vinda de máquinas, de implementos agrícolas para o município e quando chegar aqui a gente não tomar corpo, não saber como está sendo trabalhado esses maquinários, então estaria fazendo um serviço meio que perdido, agora não: a gente chamou o secretário, está tendo uma conversa e daqui pra frente acredito que a gente vá andar mais lado a lado, acredito que daqui pra frente as coisas aconteçam também com nosso aval, com nosso conhecimento também do que esteja acontecendo”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top