Seminário de ATER termina na Paraíba, mas continua em Brasil no mês de junho

Encerrou na última quarta-feira(21) em Lagoa Seca o Seminário Estadual de Assistência Técnica de Extensão Rural, evento que envolveu entidades governamentais, da sociedade civil e agricultores experimentadores de todo o Estado da Paraíba. Do evento participaram cerca de 200 integrantes de segmentos diversos que trataram o modelo de eficiente realmente aceito pelas famílias de agricultores paraibanas que entendem ser de fundamental importância que a extensão seja conseqüência das experiências das famílias associadas ás tecnologias adaptáveis pesquisadas e também em sintonia com a realidade regional.

As discussões no evento que aconteceu durante a última terça e quarta-feira(20 e 21 de maio) terá continuidade de 10 a 13 de junho em Brasília quando delegados de todos os estados da federação estarão compartilhando informações, experiências e propostas por uma nova assistência técnica e extensão rural realmente brasileira e que difunda tecnologias apropriadas, diferindo do antigo modelo que serviu em grande para a difusão de tecnologias de mercado a exemplo do uso abusivo e expansivo dos agroquímicos e venenos associados aos modelos de crédito que tornavam o agricultor verdadeiro seqüestrado do modelo, perdendo suas terras, patrimônios e criando desestímulo no modelo produtivo eficiente.

Para o assessor técnico da AS-PTA, José Camelo, o evento foi de fundamental importância por abrir um espaço de debate sobre o modelo eficiente de extensão baseado nas experiências sustentáveis. “Nós da sociedade civil defendemos assistência dotada para um modelo de agricultura onde a gente pudesse fazer que houvesse uma mudança da agricultura onde a gente pudesse aos poucos ir modificando a nossa agricultura para agricultura agroecológica”, justifica Camelo, dizendo que a AS-PTA vem reafirmar seu compromisso com o modelo de ATER que já desenvolve com famílias de agricultores em toda a região.

Para a articuladora do Fórum de Desenvolvimento Territorial do Sertão, Socorro Figueiredo, foi um grande evento já que aglutinou os mais diversos segmentos camponeses, representando um grande avanço no atual governo que atende as reivindicações o que diz respeito a uma extensão rural atualizada e continuada. “O mais importante é a forma onde técnicos e agricultores estão com o mesmo poder de discussão”, complementa.

Ao ser entrevistado pela equipe Stúdio Rural, o delegado federal do desenvolvimento agrário no estado, Marenilson Batista da Silva, disse ter sido um evento que atendeu as expectativas dos organizadores já que abre espaço para continuação na construção de uma política correta de ATER que desde 2003 ve4m sofrendo uma reestruturação e conceituada com novos verbos que se antes ensinava, hoje aprende, ensina, anima e estimula num modelo de aprendizado compartilhado.

Batista falou sobre os próximos passos a serem dados em torno da ATER pública e de qualidade, explicando que 11 delegados estão credenciados com o compromisso de no seminário nacional que acontecerá em Brasília defendam um modelo realmente eficiente. O Seminário de Assistência Técnica e Extensão Rural acontecerá de 10 a 13, em Brasília, tendo como finalidade de consolidar uma proposta de ATER que será fruto dos debates dos estados que realizaram seus seminários estaduais, propostas que serão apresentadas na Conferência Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável que acontece de 25 a 28 de junho no Centro de Convenções em Olinda-PE.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top