Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Queimadas reúne agricultoras rumo à marcha das mulheres em Solânea

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Queimadas realizou reunião de agricultoras para planejar a participação das mulheres daquele município na ‘Marcha pela vida das mulheres e da agroecologia’ que acontecerá na cidade de Solânea, Brejo da Paraíba, no dia 08 de março, Dia Internacional da Mulher.

Os sindicatos dos trabalhadores rurais e entidades componentes do Pólo da Borborema estão realizando seu encontro e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Queimadas realizou o seu na última terça-feira dia 20 de fevereiro, numa ação que contou com agricultoras de comunidades diversas. “Nessa marcha do dia 08 não só vamos passear, nós vamos agradecer as conquistas que nós estamos conseguindo no decorrer do tempo, no decorrer dos anos nós enquanto mulheres estamos nos preparando em cada município, preparando e discutindo o que é realmente o papel dessa marcha em que saímos de nosso município para ir para um outro não só conhecer e sim vamos reivindicar e nesse encontro municipal nós discutimos qual é o real papel da mulher, o porque que nós estamos a frente de tantas ações e que na realidade nós não somos reconhecidas, e, neste encontro nós fizemos essas discussões o qual foi bastante proveitoso onde assim a mulher está tendo o seu valor, pouco ainda, mas está sendo reconhecida e o nosso município está sendo bem representado com as mulheres que temos nas reuniões e junto as mobilizações e hoje elas sabem qual o real papel da mulher na sociedade”, explica a diretora de juventude no STR, Ana Paula Cândido(foto), ao dialogar com o público ouvinte das nossas emissoras parceiras esclarecendo sobre as dinâmicas que foram desenvolvidas durante a reunião. “É a partir daí que nós precisamos formar as mulheres que estão chegando, as jovens que estão chegando e as que já são mulheres pra que pensem de maneira diferente, que o que é do homem pode ser da mulher também, nas discussões a gente começou a perceber que desde antes vem se dizendo que azul é do homem e róseo é de mulher, por que, que estória é essa? Não tem nada a ver”.

Josélia de Andrade Pereira Silva é agricultora residente na comunidade Mumbuca, participou do encontro e, ao participar do Programa Domingo Rural, falou sobre a importância da reunião e sobre a dinâmica trabalhada naquele recinto e momento educativo. “Aqui foi falado nos valores das mulheres, que as mulheres antigamente não podiam participar de evento nenhum, as mulheres só trabalha, a mulher ajudava também no campo, a mulher criava, mas só que quando se repassava as coisas o dinheiro ficava com o esposo, quer dizer, a mulher não tinha vez, a mulher era sempre vista como ninguém, e no filme que foi exibido teve um trecho em que chegou um técnico lá e a mulher mesma disse que não tinha ninguém em casa, porque ela já se considerava ninguém”, exemplifica aquela agricultora ao dialogar com o público ouvinte 590 kHz e 1180 kHz dizendo que hoje em dia a mulher já está vendo a vida de forma diferente, está procurando seu espaço. “Falou-se da história de Margarida e eu falei naquele momento que eu era uma ex-Margarida porque antigamente eu não podia estudar, foi conquista eu estudar, eu não tive oportunidade de estudar, só estudei até o quarto ano porque naquela época não se dava valor ao estudo, então eu pra estudar foi uma briga, o marido queria sair de casa, a minha sorte é que eu tinha a minha sogra que me apoiava e dizia assim: então se você não for deixar ela estudar e você vai sair de cassa, ela vai ficar em casa e você vai dar tudo que ela quer, sei que foi uma briga, mas eu sou daquelas que sou guerreira que gosto de conquistar e eu consegui estudar, conclui o 8º ano e esse ano eu vou fazer o 1º ano e com o apoio dele”, explica dizendo que a mulher não pode desistir de seus sonhos e aspirações.

O evento do dia 8 de março, segundo Ana Paula, será forte, com ampla participação e garante que Queimadas estará presente com elevado número de mulheres. “Com certeza vamos firmes e fortes porque tanto as mulheres de Queimadas, queremos ajudar as mulheres de outros municípios e nesta marcha iremos firmes e fortes, ainda não sabemos quantas mulheres, mas que muitas mulheres de Queimadas continuam nos procurando para dar o nome pra participar da marcha e isso nos deixa muito lisonjeadas pelo fato de que o longo trabalho que a gente vem fazendo está sendo bem reconhecido e estaremos lá ajudando o nosso querido município de Solânea”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top