Técnicos da Faepa e Senar/PB participam de treinamento do Pronaf no Ceará

Os produtores rurais do Nordeste estão perdendo oportunidades de utilização de recursos do Pronaf ( Programa Nacional do Fortalecimento da Agricultura Familiar), por falta de conhecimento e assistência. Esta foi a constatação da Comissão Nacional de Assuntos da Pequena Propriedade da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Por causa disso foi realizado um treinamento para formação de multiplicadores especialistas no Programa em evento que aconteceu de 21 à 23 de março, em Fortaleza (CE), contando com a participação da assessoria técnica da CNA e de instrutores do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Banco do Brasil e Banco do Nordeste.

Segundo a assessoria de comunicação do Sistema Faepa/Senar-PB, Eudete Petelinkar, a entidade enviou dois assessores técnicos para participarem do treinamento, que agora será repassado para os Sindicatos dos Produtores Rurais de todo Estado, a fim de que maior número possível de produtores sejam orientados. “Segundo o engenheiro agrônomo e assessor da Faepa Paulo Florentino Uchoa, durante o curso foi possível constatar que cerca de 90% dos agricultores da Paraíba enquadram-se no perfil do programa, mas a utilização é muito maior no Sul do país do que no próprio Nordeste, porque falta preparo das entidades representativas locais”, Eudete. Ela informou que no ano passado, só no Estado da Paraíba, o Pronaf aplicou R$ 146 milhões, superando em R$ 20 a previsão de investimentos na agropecuária, em 59 mil operações de crédito. Para 2007, informou, a meta é triplicar esse atendimento para 150 mil operações sendo que os recursos estão disponíveis através do Banco do Nordeste, com um volume de R$ 90 milhões e do Banco do Brasil, com R$ 60 milhões.

Ao contatar com Stúdio Rural, Eudete Petelinkar, esclareceu que o produtor rural pode escolher seu financiamento de acordo com o tamanho da propriedade ou atividade que irá desenvolver e para isso o Pronaf conta com 12 linhas de crédito, sendo elas: Pronaf A, para produtores oriundos da reforma agrária ou assentados; Pronaf B qualquer produtor rural; Pronaf C, para pequenos é médios produtores com propriedades até 4 módulos fiscais; além das linhas específicas Semi-árido, mulher, jovem, agroindústria, florestal, agroecologia e cooperativas. “De acordo com o engenheiro agrônomo e assessor da Faepa, Paulo Florentino, na região do nordeste 65% dos produtores de enquadram nas linhas de crédito do Pronaf A, B, C, e D, e somente 35% de todas as propriedades são maiores que quatro módulos”, finalizou Petelinkar.

Fonte : Stúdio Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top