Universidade Camponesa realiza seminário em conclusão de curso de extensão em Sumé

Componentes do Projeto Universidade Camponesa, UFCG, Escola Agrícola de Sumé e parceiras realizaram um Seminário de Encerramento do Curso de Extensão Formação de Agentes de Desenvolvimento Territorial no Cariri paraibano oferecido pelo Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido(UFCG/Campus Sumé) através do Projeto Universidade Camponesa.

O evento aconteceu na Associação Beneficente da cidade de Sumé durante o dia do último dia 25 de julho(sábado) e contou com a participação da UFCG, Embrapa, Patac, prefeitura de Sumé, representações de municípios diversos dentre outras e representou a entrega de mais um grupo de 35 alunos formados com uma visão de desenvolvimento regional.

Stúdio Rural marcou presença entrevistando diversas autoridades a exemplo do professor da UFCG, Márcio de Matos Caniello; jovem agricultora e concluinte do curso, Geisa Taiana Fernandes, residente no Sítio Mocó de Camalaú; representante do PATAC, Antônio Carlos de Melo(Tonico); delegado federal do MDA no estado, Marenilson Batista da Silva; diretora da Escola Agrícola de Sumé, Severina Bezerra Duarte, Quinquinha; e o coordenador de histórias em cordel, Poeta Manoel Monteiro que falaram sobre a importância do trabalho desenvolvido pela UFCG em parceria com entidades diversas daquela região caririzeira.

“Representou pra mim um privilégio e foi uma dádiva de Deus e está sendo. Aprendi muita coisa sobre o Cariri peço á Deus que tenha oportunidade de aparecer um trabalho na área para eu executar o que aprendi aqui e passar para o povo porque é aqui que caririzeiros como eu podemos vencer não importando a classe social, se somos pobres ou não, nós somos os jovens e somos o futuro do Brasil”, relata Geisa Taiana Fernandes, ao dialogar com os ouvintes das emissoras parceiras de Studio Rural.

“Prá nós da Articulação do Semiárido Paraibano, Semiárido Brasileiro, para o PATAC, desenvolvimento só se constrói juntando diversos atores sociais que dão as mãos e compartilham sua contribuição para o desenvolvimento de uma região, de um território, então está aqui neste encontro de conclusão do curso de agentes de desenvolvimento territorial da Universidade Camponesa é de extrema importância e que a gente percebe a contribuição da universidade, a contribuição do poder público municipal, a contribuição das instituições da sociedade civil como da ASA dentre outras neste processo de desenvolvimento articulado, principalmente contribuição no processo de educação, de formação, mas não uma educação descontextualizada e sim uma educação relacionada com a vida, com as necessidades da população que valoriza a cultura, o conhecimento das famílias e que principalmente através de um processo de formação, de mobilização que valorize e irradie as boas experiências que se desenvolve aqui na região do Cariri ocidental”, explica Tonico em contato com Stúdio Rural.

“É um prazer está falando com você Tavares, com Stúdio Rural, é sempre e eu falei isso em nossa apresentação de que é importantíssimo o trabalho que você faz(Stúdio Rural) para a agricultura familiar e o fortalecimento dos camponeses do semiárido. Pois é Tavares, estamos aí concluindo mais um curso, 35 alunos se formando agora agentes de desenvolvimento territorial é mais uma ação da Universidade Camponesa que vem exatamente se juntar a esse movimento do qual você faz parte e várias outras pessoas aqui do nosso estado, é aquela promoção da agricultura familiar pelo desenvolvimento da agricultura familiar, então é uma alegria muito grande neste momento festivo e o mais importante de tudo é que não são apenas 35 alunos se formando, mas são 35 projetos elaborados para esses alunos pra serem desenvolvidos a partir do fim do curso, então é uma alegria muito grande, mais uma conquista da Universidade Camponesa e dos agricultores familiares da Paraíba”, comenta o professor Márcio Caniello.

“Não deixa de ser um dia de muita importância e de muita alegria, não só para Quinquinha, a diretora da escola agrícola, pra o município de Sumé, mas para o Cariri paraibano, que nós estamos saindo com 35 jovens prontos pra trabalhar, pra lutar nos seus municípios, valorizar e ser a diferença nos seus municípios”, comemora a professora Severina Bezerra Duarte, Quinquinha.

“O Desenvolvimento Agrário tem o compromisso exatamente da formação das pessoas, no caso específico aqui, formação de agentes de desenvolvimento do território do Cariri paraibano, o MDA presente participando ativamente porque entende que através da educação e da formação das pessoas iremos construir melhores dias para o Cariri e para o semiárido do Nordeste brasileiro”, expressa o delegado do MDA na Paraíba, Marenilson Batista da Silva.

“Esse casamento realizou-se hoje, esse namoro já vem desde 2003, eu participei desde os primeiros olhares, dos primeiros encantamentos com muita satisfação, estive no começo, você também é participante dos primeiros dias da Unicampo aqui em Sumé onde surgiu o primeiro cordel e hoje nós já temos mais quatro trabalhos que foram lançados agora, textos com sensibilidade, não diria que são obras-primas porque eu tenho 50 anos que tento fazer cordel e nunca fiz uma obra prima, então não seriam esses meninos agora que iriam fazer isso, mas eles fizeram o que eu não esperava, eles tiveram sensibilidade para transformar aulas técnicas de histórias, aulas que foram baseadas em pesquisas profundas como é o caso de trabalhos do professor Márcio Caniello, transformou aquilo em sextilhas, em setilhas e em quadras maravilhosas, então esse namoro que ontem era olhares de jovens apaixonados hoje é um casamento e nós somos testemunhas desse casamento e eu espero que ele dê muitos filhos na forma de belos versos e na forma de camponeses radicados na terra, camponeses que não sobrevivam, mas que vivam com dignidade na terra sem a humilhação de vestir camisa com o retrato de políticos e nas épocas das poucas chuvas ir implorar ao vereador que consiga um carro pipa”, poetiza Manoel Monteiro ao falar sobre as obras em cordel que foram lançadas naquele evento.

Naquele evento foram lançadas e distribuídas de forma gratuita as obras de literatura de cordel: O Cariri Ocidental: O raiar de um novo dia; O homem pré-histórico: Ontem, hoje, amanhã; Daqui não saio, daqui ninguém me tira; Oração Sertaneja, A esperança não morre; todos coordenados por Monteiro, xilogravura de Josafá de Orós e trabalhados pela equipe de estudantes concluintes.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top