Visita da Petrobrás reúne experiências de convivência no Semi-árido paraibano

Diversas experiências de convivência com a realidade do Semi-árido paraibano estiveram em evidência durante o encontro promovido pelo Patac e o Coletivo Regional de Educação Solidária do Cariri, Seridó e Curimataú, momento em que esteve presente o representante da Petrobrás, Cláudio de Jesus, evento que representou o reconhecimento da execução das ações e aplicação dos recursos financiadores por aquela empresa dentro da primeira etapa do Projeto Água para o Semi-árido e que objetivam fortalecer as ações e experiências das famílias agricultoras acompanhadas.

A passagem do representante da Petrobrás se deu durante na última segunda-feira(18/08), inicialmente com uma visita a propriedade do agricultor Manoel José Pereira de Oliveira, Manoel Pindoba, no sítio Teotônio de Pocinhos. Durante a recepção, Pindoba falou da importância em está fazendo parte do projeto no qual foi contemplado com uma barragem subterrânea que proporcionará produção de alimentos para a família e para os animais em todas as épocas do ano, acrescentando que com a barragem subterrânea a família ampliará a quantidade de animais que serão alimentados com a ração produzida ás margens da barragem que antes não passava de um riacho em erosão. Na exposição o agricultor apresentou um silo com capacidade de 12 toneladas de capim produzido no novo modelo de armazenamento de recursos hídricos.

A segunda experiência visitada aconteceu na comunidade Malhada de Areia, município de Olivedos. Inicialmente a juventude local e comunidades de municípios diversos acompanhadas pelo Patac e Coletivo Regional de Desenvolvimento Solidário mostraram seu potencial expresso na cultura local e experiências com produção de hortaliças em canteiros econômicos, uso de silo de superfície para guardar forragens para os animas(foto), uso de biodigestor dentre outras ações.

Na Parte da tarde daquele dia Jesus visitou a experiência com barragem subterrânea e ações integradas do agricultor Afonso Mendonça, na comunidade Lajedo de Timbaúba de Soledade, onde o agricultor, ao longo das ações contínuas e acompanhadas pelas entidades de agricultores, montou uma estrutura que permite a produção de gêneros variados para a alimentação da família e dos animais a exemplo de verduras, frutas e vegetais diversos para a família e capim, leucena, gliricídia para os animais.

Ainda naquela comunidade, o representante da Petrobrás visitou e conheceu a experiência integrada do agricultor familiar, Inácio Tota Marinho, com barragens subterrâneas, cisternas de placas, bancos de sementes comunitários com todas as ações trabalhadas de forma orgânica, características defendidas e trabalhadas pelas comunidades e famílias acompanhadas pelo Patac e entidades de agricultores. Tota explicou que com a ração produzida nas barragens subterrâneas está fazendo um farelo a partir de uma composição das culturas colhidas a exemplo da cultura sabiá, maniçoba, feijão de porco, milho Branco, jurema nativa, dentre outras culturas que, depois de trituradas enriquecem a composição nutricional na alimentação do rebanho. style=mso-spacerun: yes>  Tota garante que a medida que os agricultores desenvolvam um trabalho com as culturas locais evitará comprar alimentos em outras regiões do país produzidos com produtos químicos que comprometem a pecuária orgânica aqui na região.

Outra ação continuada acompanhada pelo Patac em parceria com o Coletivo Regional apresentada ao representante da Petrobrás foi a experiência da agricultora, Maria José Gonçalves de Arruda. Moradora na comunidade Lajedo do Timbaúba, a agricultora faz parte de um grupo de mulheres que trabalham com o beneficiamento de frutas nativas da região a exemplo do umbu com produção e beneficiamento sem o uso de produtos agroquímico e sem o uso de geladeiras e ou corantes e conservantes. A agricultora, que já tem plantado em sua propriedades diversas fruteiras, foi contempla com uma cisterna calçadão com capacidade de 50 mil litros e garante que a partir de agora aumentam as chances de produção frutícola e a linha de e quantidade de produtos á serem beneficiados na agroindústria familiar. “Foi mostrado as fruteiras, a cisterna(calçadão), os canteiros econômicos”, argumenta a agricultora ao dialogar com a equipe Stúdio Rural, acrescentando que vai continuar na ampliação do trabalho da fruticultura familiar, evidenciando a importância do trabalho continuado das entidades junto as famílias e sobre a importância do apoio financeiro por parte da Petrobrás.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top