Adoção tecnológica intensifica capacidade produtiva de caprinocultor em Barra de São Miguel-PB

A adoção de novos conhecimentos e tecnologias já é prova incontestável na agricultura e pecuária de nosso semiárido e prova disso é a experiência do pecuarista Pedro de Castro, na Fazenda Coruja, município de Barra de São Miguel, no Cariri Oriental paraibano.

Conforme a assessoria do Senar-PB, a partir de uma estrutura já implementada, Pedro começou a receber acompanhamento a partir da Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), do Senar, dentro do programa Agronordeste, numa dinâmica de agregação de valor ao leite de cabras com a fabricação do queijo até então pouco valorizada. “Com as orientações do técnico de campo, a produção diária de leite saltou de 12 para 30 litros, um aumento de 150%, isso com 18 animais em lactação”, explica aquela assessoria justificando que o produtor reconhece como essencial o suporte do Senar para o aumento da produção que cria cabras das raças murciana granadina, toggenburg, além de alguns animais mestiços.

Aquela assessoria explicou que atualmente todo leite produzido naquela unidade rural é comercializado como doce de leite e na forma de queijo boursin, creme chèvre e o queijo de cabra maturado, que tem o nome de Lua Nova que já alcançam mercados fora da Paraíba, como no Recife e as vendas também ocorrem de modo digital, no perfil @queijodacoruja, no Instagram. “Segundo o técnico de campo que atende a propriedade, Isaac Montenegro, ao iniciar os trabalhos na propriedade, ele percebeu que o produtor não controlava de maneira adequada os aspectos administrativos da fazenda, como os custos de produção do litro de leite, manejo alimentar, entre outros. Essa foi uma das primeiras frentes de ajuste e o atendimento da ATeG já dura 5 meses”, acrescenta.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural /Senar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top