Agricultor diz que entidades e agricultores conseguiram bater recorde no armazenamento de ração na região do Pólo

O ano de 2011 bateu recorde no número de agricultores e agricultoras trabalhando experiências com a construção de silos para armazenemento de ração e fenação para alimentar o rebenho nos municípios do Brejo, Agreste e Curimataú paraibano.

São famílias agricultoras que trabalham agricultura agroecológica no Pólo da Borborema e que são assessoradas pela ONG AS-PTA em parceria com as entidades locais que vêm fazendo um trabalho com tecnologias apropriadas capazes de estruturar as unidaders rurais com tecnologias sociais que proporcionem melhor qualidade de vida para as famílias.

Entrevistado no Programa Domingo Rural do último dia 11, o agricultor Luiz Pereira de Sousa(foto) falou sobre o trabalho que vem sendo desenvolvido em toda a região com o armazenameto de cerca de duas mil toneladas de ração composta por ampla variedade de culturas vegetais, exemplicando o município de Solânea que armazenou cerca de 650 toneladas. “Então eu acho que nós e os agricultores estão de parabéns, o que acontecia antes era o trabalho que a gente tinha e a gente sabe que a criação é a poupança do pequeno agricultor, mas quando não tinha essa alimentação e quando passava ano seco sem chuvas os animais eram vendidos por preços baratos e os agricultores tinham perdas de mais de 80%, e com esse trabalho do Pólo Sindical da Borborema com esse armazenamento de forragens o agricultor agora neste período de seca que a gente está atravessando agora de dezembro, janeiro e por diante a gente tem bastante armazenamento de forragem que vai dar pra engordar bastante os animais e pegar um bom preço” style=mso-tab-count: 1>          , explica.

A família do agricultor Luiz Pereira de Sousa, residente na comunidade Salgado de Sousa, no município de Solânea, Curimataú paraibano, desenvolve um trabalho ao longo de mais de 10 anos junto as entidades de agricultores vinculadas ao Pólo Sindical da Borborema e Articulação do Semi-árido Paraibano que, na opinião do agricultor fez grande diferença na qualidade de vida da família composta por sete componentes. “Graças á Deus esse trabalho tem ajudado bastante o pequeno agricultor porque a venda dos animais magros era um grande prejuízo que o agricultor tinha e com esse trabalho junto a essas organizações nós estamos tendo um bom lucro porque na época da seca quando perdíamos os animais estamos tendo alimentação para engordar, e alimento de boa qualidade, alimento orgânico para os próprios animais se alimentarem”.

Na propriedade Sousa tem diversas partes utilizadas com ações diversas a exemplo de campos plantados com palma consorciada com culturas nativas e culturas adaptadas tipo Leucena e Gliricídia que associadas as culturas locais estão dando condições de restauração dos solos, melhorando a qualidade da palma e diversificando a qualidade nutricional da ração.

Luiz de Sousa garante que não trata-se de uma ação isolada já que a característica da agricultura familiar está relacionada a diversidade de culturas e cultivos expondo roçados consorciados com culturas destinadas a alimentação da família e elaboração de forragens para os animais que hoje ultrapassam 30 cabeças entre bovinos e ovinos.

Ao dialogar com nossa equipe ele garante que essas ações estão em todos os municípios do Pólo e diz que a produção de ração é o grande destaque para esse ano de 2011 e assegura que o conjunto das ações desenvolvidas têm ofertado mais trabalho e renda no campo, fazendo com que a juventude camponesa se mantenha na atividade agrícola com qualidade de vida. “A gente sabe que os jovens sempre tinham essa continuação de ir para o sul, mas porque o jovem nessa época de seca pesada não tinha condições de ficar com seus pais, mas hoje sabe que a criação é uma grande fonte de riqueza e estou vendo na região a grande sustentação já que os jovens estão ficando porque o jovem já tem serviço disponível pra alimentar seu rebanho e continuar sua criação”.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top