Agricultores agroecológicos e entidades do Pólo trabalham planejamento 2012 durante dois dias

Agricultores e agricultoras dos municípios do Pólo da Borborema estão participando de um encontro de dois dias que tem como meta planejar as ações à serem trabalhadas no decorrer deste ano nos municípios que fazem parte das discussões nas regiões do Agreste, Brejo e Curimataú.

O encontro é uma promoção das entidades do Pólo Sindical e das Organizações da Agricultura Familiar da Borborema assessorado pela ONG AS-PTA e está acontecendo, durante esta terça e quarta-feira(28 e 28/02), no Day Camp Hotel Fazenda, Comunidade Lucas, município de Campina Grande e conta com agricultores e lideranças de Queimadas, Massaranduba, Lagoa de Roça, Alagoa Nova, Lagoa Seca, Montadas, Areal, Esperança, Remígio, Solânea, Arara, Casserengue dentre outros municípios que contam com o movimento de agricultura agroecológica num plano de ação estruturadora e de convivência com a realidade semiárida.

O evento foi evidenciado no Programa Universo Rural da Rádio Bonsucesso de Pombal AM 1880 kHz que entrevistou a agricultora familiar, Maria do Céu Silva Batista de Santana, residente na comunidade Videu, município de Solânea, Curimataú; entrevistou o representante do Pólo Sindical, Nelson Ferreira dos Santos, e o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Remígio, Euzébio Cavalcante Albuquerque, que falam sobre a jornada realizada no interior de todos os municípios para o processo de planejamento local que agora passa a ser trabalhado no coletivo do Pólo Sindical.

“É bem participativo essas jornadas com os agricultores familiares, com as direções do sindicato, principalmente as ONGs que sempre nos apóiam, assim como o Pólo Sindical e como a AS-PTA também que se sempre estão nos assessorando no município. Acho que cada agricultor e agricultora que hoje vem aqui neste planejamento do Pólo e também os diretores sindicais percebem a importância que tem a coletividade das ações que hoje existe na região do Pólo da Borborema onde tem diversas comunidades, diversas lideranças, diversos agricultores familiares experimentadores que são apoiados pelas entidades no município, principalmente pelo sindicato dos trabalhadores rurais, mas também a importância do agricultor está observando a sua autonomia, a sua melhoria de vida ali no seu espaço ao redor de casa, nas suas pequenas criações, com as cisternas calçadão, com as cisternas do P1MC, então tem toda uma ação que é coletivamente realizada na região do Pólo que hoje e amanhã estamos aqui pra gente poder também está melhorando isso no coletivo pra a gente ter uma ação em 2012 de muita desenvoltura para a agricultura familiar”, explica a agricultora Maria do Céu Silva Batista de Santana, ao dialogar com os ouvintes do Universo Rural desta terça-feira(28/02).

“Primeiro é fazer a avaliação da rodada de planejamento dos municípios, dos sindicatos, das organizações dos agricultores enfim conjunto organização de lideranças que está reunido hoje e amanhã onde vai fazer exatamente o enxugamento do planejamento municipal que aconteceu em, pelo menos, 16 cidades em que 16 sindicatos se mobilizaram para, tanto avaliar os resultados positivos do trabalho da agricultura familiar em 2011, e exatamente planejar, traçar metas, perfil, caminhos, passos à serem dados dentro da agricultura familiar e do objetivo de trabalhar a agroecologia e de fortalecer a agricultura familiar como um todo aqui na Borborema”, explica o componente do Pólo Sindical, Nelson Ferreira dos Santos.

“A jornada que o Pólo Sindical promoveu nos municípios já esta no terceiro ano, então ajudou muito os sindicatos a planejar mais democraticamente o seu trabalho, alguns sindicatos já faziam o seu planejamento coletivo com as comunidades, mas outros sindicatos precisavam muito desse reforço, desse apoio do Pólo pra que a jornada pudesse ser mais democrática, e assim eu acredito que a gente está vendo hoje nesse balanço como está sendo importante em que as pessoas estão vendo que o debate no município está além da diretoria do sindicato, as comunidades estão presentes, os agricultores experimentadores estão presentes. Então muitos frutos esperamos daqui pra frente, porque se só tem três anos e já está começando a dar os seus resultados, acredito que isso tem tudo pra melhorar ainda mais”, argumenta o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Remígio, Euzébio Cavalcante Albuquerque, acrescentando que temas diversos estarão em foco no decorrer deste ano a exemplo da segurança pública no campo que envolverá cada família e cada município e juntas lutarão para que as instâncias de competência do estado sintam-se fortalecidas pelas cobranças e apoios da agricultura organizada e das entidades em cada município agregadas no Pólo Sindical. “Hoje eu vejo que o nosso sindicato está muito forte por isso, a gente está encarando os desafios e estamos levando em frente, hoje a gente tem muitos desafios, um grande desafio que a gente viu em nossa jornada é questão da segurança pública e aí a gente dá nosso grito, e nosso grito é a gente juntar as comunidades pra que a gente possa fazer uma grande mobilização, em março, para que os poderes públicos tomem uma atitude, porque nós somos agricultores também pagamos impostos e queremos voltar pra casa, é assim que a gente coloca já que temos muitos agricultores que deixaram suas casas, foram morar na rua. Vêem que seus pais lhe criaram no sítio e eles não podem criar os próprios filhos”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Universo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top