Agricultura pernambucana inicia investimentos financeiros em municípios do Pajeú

A Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária, por meio do Programa de Fortalecimento da Estrutura Hídrica Rural de Pernambuco, vai investir R$ 58 milhões na construção de barragens, sistemas de abastecimento de água e passagens molhadas em todos os municípios do Estado.

A informação é da assessora de comunicação daquela secretaria, Jaqueline Macedo, justificando que o secretário daquela pasta, Ranilson Ramos, assina os primeiros convênios nesta quinta-feira, dia 10, com os municípios de Flores, Tuparetama, São José do Egito e Belém do São Francisco, totalizando R$ 900 mil, recursos do Tesouro Estadual e do Governo Federal, na implantação de dois (02) mil novos pontos de abastecimento d´água na zona rural de 122 municípios, atendendo a 400 mil famílias.

Macedo citou como exemplo o município de Flores, onde o convênio prevê a construção de três passagens molhadas, ao custo total de R$ 147 mil e Tuparetama onde serão investidos R$ 148 mil nas obras de duas passagens molhadas. “Em São José do Egito os investimentos contemplarão a construção de uma passagem molhada no Sítio São Pedro no valor de R$ 199 mil e a implantação de um sistema de abastecimento rural simplificado estimado em R$ 198 mil. Em Belém do São Francisco o Governo vai aplicar mais de R$ 195 mil na construção de barragens de médio porte”, explica aquela jornalista ao dialogar com a equipe Domingo Rural.

Ela explicou que o Programa tem a execução direta do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) e de imediato estão sendo instalados 500 poços artesianos que foram perfurados, mas não tinham instalações para uso. “Outros 500 começaram a serem recuperados, 500 serão perfurados e instalados e mais 500 novos poços amazonas construídos. Também serão construídas 227 barragens de pequeno porte, recuperados e instalados 50 dessalinizadores e implantados 50 sistemas simplificados de abastecimento d´água”.

Jaqueline informou ainda que Ranilson colocou como prioridade para sua gestão a questão hídrica do estado, face ao agravamento da estiagem no Sertão e Agreste pernambucanos e que ao assumir a Secretaria, a primeira medida foi realizar audiências públicas com 56 municípios do Sertão do estado – uma em Ouricuri e outra em Serra Talhada.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top