Agroecologia na Borborema entrega equipamentos e inicia construção de viveiro de mudas em Massaranduba

A AS-PTA através do Pólo da Borborema entregou os equipamentos(foto) para a construção do viveiro de mudas do município de Massaranduba, no agreste da Paraíba, entrega que aconteceu no último dia 13 na Associação Comunitária dos Moradores do Sítio Cachoeira de Pedra D’água naquele município.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>O tema foi evidenciado no Programa Domingo Rural da Rádio Serrana de Araruna em Conexão com a Rádio Cultura de São José do Egito e Rádio Independente FM de Serra Branca com entrevistas com lideranças e agricultores que falaram sobre a eficácia da parceria existente entre o Sindicato dos Trabalhadores Rurais daquele município, AS-PTA e as entidades do Pólo com patrocínio da Petrobrás através do Projeto Petrobrás Ambiental.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>Antônio Luiz da Silva, Dedé, é agricultor e componente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Massaranduba, participou da recepção dos produtos e disse que não esperava tanta rapidez na entrega já que a aproximadamente um mês passado estavam no processo de construção do projeto e na sexta-feira 13 de agosto as entidades do município já estavam sendo contempladas com a entrega de todo material que vão dos tijolos, areia, telhas dentre outros para a construção do local de produção das mudas até equipamentos como pás, carroças, irrigadores, telas dentre outros suportes para a complementação dos trabalhos. “Foi uma conversa que se fosse por políticas públicas(prefeituras etc) a gente achava que nós íamos levar seis meses daqui pra frente pra vim e a gente trabalhando firme de pés no chão que nem Seu Louro falou ainda agora, a gente somos um pessoal que, graças á Deus, quando a gente quer ajuntar as coisas a gente chega lá, conversa, senta e consegue”, comemora aquela liderança municipal, explicando que o mutirão de construção da obra e das ações já começariam no dia seguinte e que envolve comunidades diversas daquele município a exemplo do Sítio Cafula, Sítio Imbira, Gameleira, Aningas dentre outras comunidades que fazem parte das discussões de desenvolvimento rural sustentável.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>O agricultor José Domingos de Barros, Lourival, morador no Sítio Cachoeira de Pedra D’água e componente da Associação dos Moradores classificou a ação como um trabalho de pés no chão, numa ação que se dá de agricultor para agricultor na discussão com as entidades e que os resultados contribuem para o resgate da credibilidade da entidade local já que as discussões acontecem e, em pouco tempo, as ações se concretizam. “Eu nunca senti uma coisa tão com firmeza que nem esse trabalho da gente, é um trabalho de pés no chão, trabalho de agricultor para agricultor onde a gente faz o convite para os agricultores, os agricultores ficam em dúvidas, mas hoje está a prova aí: antes de 30 dias a gente está concluindo todo o material de uma obrazinha que a gente vai fundar, o viveiro de mudas, e hoje nós temos com que devolver para o agricultor em prática, não é teoria não, é prática prá eles trabalhar juntos e daqui a um ano a gente mostrar muitas e muitas vidas, que uma muda é uma vida para o agricultor”.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>Emanoel Dias é agrônomo assessor da AS-PTA junto ás entidades de agricultores no Pólo, e ao dialogar com a equipe do Programa Domingo Rural, falou sobre o trabalho desenvolvido pelas entidades em municípios diversos do Compartimento da Borborema, explicando sobre o trabalho que está sendo feito com o patrocínio da Petrobrás e fortalecendo os diversos trabalhos que já vêm sendo desenvolvidos pelas entidades da Articulação do Semiárido Paraibano. “A gente fala tanto em sustentabilidade, então a gente acredita que essa é uma ação de sustentabilidade. Não adiante se gastar cifras e mais cifras de dinheiro onde você vê que a coisa não tem uma sustentabilidade de continuidade, então essa ação desenvolvida na comunidade com os agricultores tem muito o papel de cada um deles de trabalhar, de fazer um mutirão, de organizar, de receber um material, de conferir, de mobilizar as comunidades assim como também o nosso enquanto AS-PTA e Pólo de também estar nessa costura, nessa construção, nessa elaboração e também de parceiros como é o caso da Petrobrás que está patrocinando toda essa ação. Então não adianta só você ter o patrocínio, mas não ter a comunidade organizada, não adiante ter comunidade organizada se você, por outro lado, não tem um patrocínio de projeto para puder viabilizar toda essa ação. Então é nesse espírito de construção que a gente acredita que o projeto Agroecologia na Borborema vem fortalecendo uma ação da melhoria da qualidade ambiental, de segurança alimentar e também de fortalecimento dos laços de solidariedade entre as pessoas e entre as comunidades”.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>Dias informou que as capacitações de formação com as famílias terão continuidade no processo de como trabalhar a produção de mudas diversificadas, distribuídas e trabalhadas de forma integradas entre as comunidades. “O Projeto Agroecologia na Borborema vem desenvolvendo essa ação junto a oito viveiros daqui da região, então todos eles a gente já entregou esse material, a gente já fez a mobilização inicial de discussão e o pessoal se mobilizando cada um com sua forma, com sua característica, mas está se organizando, se estruturando e montando as infra-estruturas e nós vamos para um segundo passo agora que é a capacitação para a questão da produção”.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top