Algodão orgânico de Sergipe já é destaque no contexto de semiárido nordestino

A produção do algodão orgânico no Sertão de Sergipe, semiárido nordestino, já passa a fazer parte do contexto das dinâmicas nos sistemas agroalimentares da agricultura familiar agroecológica do município de Canindé do São Francisco e municípios vizinhos.

Iva de Jesus Santos é agricultora residente no Assentamento Nova Canadá, zona rural de Canindé do São Francisco, e presidente da ACOPASE, Associação de Certificação Orgânica Participativa de Agricultores e Agricultoras do Alto Sertão de Sergipe, participou do Programa Domingo Rural do último domingo(30) detalhando o trabalho que vem sendo desenvolvido pelas famílias agricultoras com a produção do algodão na diversidade da agricultura familiar.

Conforme aquela agricultora, nesta safra o quantitativo de famílias é bastante animador e já supera 2019 quando cerca de 150 pessoas fizeram parte das dinâmicas produtivas nos municípios de Gararu, Canindé do São Francisco, Poço, Glória, Porto da Folha e Monte Alegre. “A ideia do algodão aqui no alto sertão sergipano, não só no município de Canindé, chegou numa discussão dos movimentos sociais e outras entidades e também com a universidade a UFSE aqui no sertão e também foi da luta do território pra poder fortalecer a nossa juventude à não sair do campo e continuar fazendo o trabalho de produção e a partir dessas conversas foi que a gente conseguiu trazer esse projeto pra gente estar trabalhando aqui no sertão”, explica Iva ao dialogar com o público |Domingo Rural.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural /

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo