Após encontro em Barra de Santana, deputado denuncia que bandidos dominam cinco cidades e causam pânico

SR080615cO deputado estadual Frei Anastácio denunciou, no último dia 26, no plenário da Assembleia Legislativa, que a população de Barra de Santana, Riacho de Santo Antônio, Caturité, São Domingos do Cariri e Natuba não dispõem de nenhum policial militar e está vivendo em clima de terror com ação de bandidos.

A realidade enfrentada por Barra de Santana e região vem sendo acompanhada pela equipe Stúdio Rural que tem participado de diversos encontros de agricultores ameaçados pela seca que perdura desde 2012, discussões sobre alternativas de convivências com a realidade semiárida, seminários e capacitações de adoção de novas tecnologias de superação ao ataque da Cochonilha do Carmim e mais recentemente a forte onda de arrastões na cidade e no campo com ataques de ladrões via saques, arrombamentos e invasões de residências vitimando agricultores e pecuaristas daquele município além da população urbana nos seus diversos segmentos.

Em seu depoimento, na Assembleia Legislativa, Anastácio foi porta voz da realidade vivida no município e tematizada num encontro promovido pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Barra de Santana, no último dia 22 de maio(Clique e leia). “Em Barra de Santana, por exemplo, até o padre foi assaltado e mudou os horários das missas, temendo a bandidagem”, denunciou Frei Anastácio, tomando como exemplo depoimento do padre no encontro de Barra e manifesta na TV Correio da Paraíba.

Ao dialogar com nossa equipe, a assessoria daquele parlamentar explicou que segundo o deputado evidenciou o fato de que a população está passando por assaltos no campo e na cidade, arrastões, arrombamentos e ataques constantes contra comerciantes provocando reações perigosas a exemplo do fato registrado recentemente em que a população chegou a deter dois acusados de praticar arrastões amarrando-os num banco da praça pública e espancando-os até a chegada da polícia.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo