Barra de Santana continua confecção de silagens mesmo em ano de seca

Pecuaristas do município de Barra de Santana, Cariri Oriental paraibano, estão desenvolvendo o processo de armazenagem da ração a partir da confecção de silos de sorgo, milho, capim elefante e até mesmo vegetação nativa.

Paulo Medeiros Barreto é presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, participou do Programa Domingo Rural deste domingo(22), e garante que esse ano o número de silos será bem reduzido quando comparado a anos anteriores em razão da ampla falta de chuvas. “Esse ano será bem mais reduzido do que nos outros anos porque nós tivemos bem pouca chuva aqui, mas mesmo assim estamos no nosso trabalho na confecção dos silos de pequeno porte porque nas regiões que fazíamos bons silos foram muito afetadas e nós estamos fazendo o que se pode pra tentar fazer as silagens desses agricultores”, explica.

Paulo explicou que o produto alimentício está tão pouco que, ao contrário de anos anteriores, os silos todos estão sendo feitos em superfície já que esses alimentos serão utilizados a bem curto prazo. “O ano passado não foi um ano de muito inverno, mas foi melhor que esse ano e nós conseguimos atender 110 agricultores, fizemos 110 silos, só os feitos pelo sindicato, foi um avanço extraordinário, mesmo sem ter tido um inverno bom”, explica mostrando a perspectiva negativa para esse 2021. “A estimativa da gente é muito pouca, muito pouca mesmo, bem irrisória, acho que a gente não ultrapassa 40 famílias atendidas”, lamenta Medeiros dizendo que a pecuária e a agricultura municipal estão em profunda crise com risco de grandes desfalques nos planteis bovinos leiteiros.     

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural /

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top