Cidades do Cariri Oriental optam por barragens subterrâneas e dessalinizadores

As cidades do Cariri Oriental que compõem o Fórum de Desenvolvimento Territorial Sustentável se reuniram na manhã desta terça-feira(29) para discutir sobre quais os equipamentos que seriam adquiridos com os recursos do MDA, Ministério do Desenvolvimento Agrário, destinados para serem investidos na microrregião caririzeira. Inicialmente as lideranças haviam anunciado a possibilidade de compra de uma perfuratriz, mas nesta manhã decidiram que os recursos na ordem de R$ 275 mil eram insuficientes para a compra do equipamento que custaria em torno de R$ 450 mil reais e que seria utilizado na perfuração de poços nas 14 cidades componentes do Cariri Oriental que são: Caturité, Boqueirão, São Domingos do Cariri, Cabaceiras, São João do Cariri, Barra de Santana, Barra de São Miguel, Riacho de Santo Antônio, Alcantil, Boa Vista, Gurjão, Santo André, Soledade e Caraubas.

Stúdio Rural conversou com diversas lideranças que falaram sobre a decisão de optar pelas obras hídricas compostas por dessalinizadores e barragens subterrâneas.

O prefeito da cidade de Cabaceiras, Ricardo Aires, é da opinião de que os municípios parceiros fizeram a opção certa em querer os equipamentos votados naquela reunião. “Eu tenho certeza que nós estamos trabalhando pela segurança hídrica dos nossos municípios e ficou para na discussão do ano que entra aprofundarmos mais iniciativas estruturantes para que a gente possa realmente amenizar os problemas com a falta d água”, argumenta Aires.

Secretário da agricultura da cidade de Boqueirão, Paulo da Mata Monteiro, é da opinião de que a reunião foi positiva já que as lideranças municipais decidiram sobre o uso dos recursos vindos do governo federal, aproveitando para criticar a quantidade disponibilizada por parte do governo federal, sem, no entanto, questionar a contrapartida dos municípios para uma melhor aplicação dos recursos. “Fazendo uma reflexão, de recursos que vêm para o cariri, pra você ter uma idéia, menos R$ 300 mil é pra promover o desenvolvimento de uma região que é a região do Cariri”, lamenta.

Já para o gerente da Embrapa Transferência de Tecnologias, Heleno Alves de Freitas, o que falta por parte dos gestores municipais é a decisão de investir em parceria com o governo federal nos empreendimentos decisivos para construção de obras estruturadoras nos municípios. “Eu acho que a compra da perfuratriz é um anseio, é um desejo e vai acontecer no próximo ano, mas poderia ter conseguido agora, porque o que representa para um município ele investir R$ 7 mil reais na compra de uma perfuratriz que aí ele vai passar dez, doze anos utilizando num sistema rotativo e coletivo de sua gestão”, argumenta Freitas, lembrando que mais do que isto, os gestores gastam com investimentos feitos com bandas musicais em carnavais e outras eventualidades.

Stúdio Rural conversou com o presidente do Conselho Municipal do Desenvolvimento Rural Sustentável de Caturité, José Faustino Neto, que disse acreditar que o município sai contemplado nas discussões e que o empreendimento será aplicado no município, devendo a sociedade se preparar para pleitear a compra da perfuratriz no próximo ano.

Barra de Santana participou representada pelo prefeito Manoel Andrade Filho e o Secretário da agricultura, Antônio Gomes de Aquino que, em entrevista ao Stúdio Rural, disseram ter exercido o papel de discutir o que era melhor para os municípios consorciados e que, neste contexto, Barra de Santana sai contempla com as decisões tomadas.

Ao conversar com Stúdio Rural, o secretário de agricultura de Cabaceiras, Carlos José, disse que o ideal seria ter investido na compra da perfuratriz que exerceria importante papel na perfuração de poços em todos os municípios da microrregião caririzeira, mas que na democracia vence a vontade da maioria e que decisões futuras serão tomadas em torno de equipamento de ação mais eficiente para a região.

Ao ser entrevistada por nossa equipe, a Articuladora do Território, Maria José Jovem de Freitas, disse acreditar que em breve as barragens subterrâneas com passagens molhadas e os dessalinizadores estarão instalados nas propriedades de cada município e que as ações servirão como referência de ações de convivência com a região semi-árida. “Agora vai se elaborar a proposta e encaminhar para o Ministério, esperamos que essa proposta seja bem elaborada, seja uma proposta que seja aprovada porque vai contemplar várias comunidades do território”, Justifica Jovem.

Para o geólogo, Francisco de Assis da Silveira Gonzaga, as lideranças devem continuar acreditando no projeto de comprar um equipamento completo de perfuração de poços para ser dividido entre todos já que a água para os animais e gastos gerais tem tido fatores decisivos e limitadores para a economia de toda a região que vem despontando como uma importante cadeia produtiva de leite e carne que dependem de forma direta do acesso a água que pode ser suprida com a perfuração de poços nas propriedades de cada município.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top