Cisterna Calçadão amplia capacidade produtiva de família rural em São Vicente do Seridó

Ampliar a capacidade produtiva da família da agricultora Josefa Marques da Silva, Jandira, não mais apenas um sonho, é uma realidade já que a ação associado ao conjunto de outras ações desenvolvida na unidade rural daquela agricultora, residente na comunidade Santa Cruz de São Vicente do Seridó, no Seridó paraibano.

Ela recebeu a equipe do Programa Domingo e falou sobre as ações que vêm sendo desenvolvidas na parceria com o Coletivo Regional e do PATAC dentre outras e garante que pouco a apouco a capacidade de produção e produtividade vem mudando o panorama da unidade rural e a qualidade de vida da família que vem produzindo uma ampla linha de produtos agrícolas, espacialmente para a segurança alimentar da família conforme comentou aos ouvintes da Rádio Serrana de Araruna, Rádio Cultura de São José do Egito e Rádio Independente do Cariri, no Programa Domingo Rural deste domingo(18), momento em que se reportou a construção mais recente da cisterna calçadão com capacidade para 52 mil litros de água. “A cisterna calçadão é ótima, é um serviço que é feito com boa vontade, boa satisfação de quem manda e de quem faz aqui e isso eu achei muito importante pra mim porque a minha família é muito grande”, explica a agricultora na entrevista concedida e apresentada neste domingo(18) através das emissoras parceiras.

Ela disse que as ações integradas vêm sendo somadas a aposentadoria dela e do esposo, recursos que vem melhorando a capacidade de colheita de produtos diversos para a alimentação da família além de produtos excedentes que passam a serem vendidos no mercado local. “Se Deus quiser em 2011 eu vou ter dois barreiros de forma legal mesmo, porque junto essa(cisterna de placas) com essa aí(cisterna calçadão) porque já estou muito acostumada a água da outra cisterna que nem estou falando nem em água de beber mais, falo só na da horta, comenta a agricultora que já contabiliza uma ampla linha de produtos de frutas, verduras e legumes além da criação de pequenos animais já que a horta está toda cercada com cerca viva a partir de plantas de espinhos.

Jandira foi entrevistada no Domingo Rural deste domingo falando sobre a importância das organizações e garante que todo o trabalho se deu na parceria com contrapartida da família e da comunidade que reunião no trabalho para proporcionar a construção das cisternas diversas na comunidade. “Quando as cisternas chegou, essa foi a primeira, aí veio um grupo de quatorze trabalhando aí quando saiu aqui da minha já passou para a Neusa ali atrás e sei que foram até o fim”, comemora a agricultora dizendo acredita num trabalho educativo que contempla as ações em mutirão como forma de crescimento coletivo. “Ave Maria, vieram com uma boa vontade tão grande que se eles pudessem ainda estavam aqui comigo, era uma boa vontade que eles vinham, tudo satisfeitos que parecem que estavam numa festa, era uma alegria imensa aqui”, relata a agricultora dizendo que todo o produto é compartilhado entre as residências familiares e que a produção excedente é bem aceita no mercado local.

Ela aproveitou para falar sobre o papel desempenhado pelas entidades PATAC, Coletivo, Sindicato e Associação enaltecendo o trabalho humanizado que é desempenhado pelos componentes sociais. “Ave Maria, é muito importante, é muito importante porque a gente convive como uma família, eu tenho esses meninos que pra mim são como meus irmãos, todos eles, todos são iguais. Vem associação que é a mesma família, vem sindicato todo mundo que tem uma importância maior que eu já vi em minha vida”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top