Consultor diz que Projeto Palma para o Semi-árido chegará a todo Nordeste

O Projeto Palmas para o Semi-árido ganhará um novo nome porque, em breve estará em todo o Nordeste, atingindo Estados e microrregiões que não têm tradições no plantio da cultura e que contagiados com a ampla variedade de produtos originados da cactácea e influenciados pelas ações desenvolvidas pelo Sistema Faepa/Senar, Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba/Serviço Nacional de Aprendizagem Rural-PB, passarão a adotar a cultura como forma alternativa de convivência com a realidade de clima e solo do semi-árido. A opinião é do consultor do sistema Faepa/Senar, Paulo Suassuna, idealizador do Projeto Palmas para o Semi-árido, experiência desenvolvida pelo sistema que aglutina os empreendedores rurais paraibanos e que participou do VI Congresso Internacional da Palma e da Cochonilha que de 22 a 26 deste mês, tendo como local o Hotel Tambaú em João Pessoa. Ao ser entrevistado pela equipe Stúdio Rural, Suassuna fala sobre onde tem início o trabalho de forma sistematizado com a cultura, que atualmente já são mais de 200 famílias nas diversas microrregiões do Estado, sobre os produtos possíveis a partir da palma o que vem despertando o interesse por parte dos produtores rurais e autoridades políticas em diversos Estados brasileiros, sobre o empenho da Faepa no projeto e no evento dentre outras informações. “Não é pra qualquer homem fazer isso não, o cabra foi macho todo, o Mário Borba ele quando disse: eu vou fazer, ele fez fazendo mesmo”, argumenta de forma bem regional suassuna referindo-se ao desempenho do presidente da Faepa, Mário Borba, momento em que salientou a importância da assessoria do evento. Ao ser contatado com a Stúdio Rural, em 21 minutos Suassuna faz um balanço sobre o evento e cultura. Para o representante da FAEC, Federação da Agricultura do Estado do Ceará, Jorge Prado, o evento representa um importante espaço para que o Nordeste possa perceber a palma como instrumento de suporte a economia pecuária, justificando que diante da importância do evento e da cultura para a região, aquele Estado trouxe um grupo de 36 pessoas de várias entidades e microrregiões cearenses que terão o papel de difundir os conhecimentos compartilhados no VI Congresso Internacional de Palma e Cochonilha. Durante 09 minutos de entrevista, Prado fala sobre o tema.Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top