Domingo Rural acompanha encontro sobre gestão de projetos de forragem dos Cariris da Paraíba

A cidade de Serra Branca realizou o encontro dos municípios do Cariri Oriental e Cariri Ocidental para atualização dos termos de gestão dos equipamentos de forragens do projeto 2007 que contemplou 26 municípios do Cariri paraibano.

style=FONT-FAMILY: ?Arial?,?sans-serif?; FONT-SIZE: 10pt>A reunião aconteceu na última segunda-feira, 30 de agosto, na secretaria de agricultura daquela cidade e nós do Programa Domingo Rural participamos do encontro e falamos com lideranças diversas sobre as ações que vêm sendo desenvolvidas em cada município além dos compromissos a serem trabalhados seguindo o que dizem os termos de responsabilidades estabelecidos no contrato de parceria do Ministério do Desenvolvimento Agrário e as entidades gestoras em cada municipalidade.

style=FONT-FAMILY: ?Arial?,?sans-serif?; FONT-SIZE: 10pt>Maria José Jovem é técnica da Coopagel, até recentemente foi articuladora do Território do Cariri como um todo e, mais recentemente, do Cariri Ocidental, participou do encontro e no Programa deste domingo, falou sobre o sentido da reunião em Serra Branca. “Essa discussão de hoje foi em cima do projeto de forragem do ano de 2007, onde na época o território não era dividido ainda, era um território só, e esse projeto contemplou municípios de Alcantil até São João do Tigre onde 26 municípios foram contemplados, só que esse projeto como foi de 2007 onde todos os municípios assinaram um termo de gestão desses equipamentos, motos-ensiladeiras e o objetivo hoje da reunião aqui foi renovar esses termos que estavam vencidos que na época foi definido um prazo de dois anos e esses termos já estavam vencidos”, explica Jovem dizendo que ficou decidido que os novos termos terão vigência de mais três anos junto á entidade gestora, mas que durante esse período avaliações serão feitas para observar o cumprimento de metas junto aos pecuaristas agricultores locais.

style=FONT-FAMILY: ?Arial?,?sans-serif?; FONT-SIZE: 10pt>José Bento Leite Nascimento é vice-prefeito da cidade de Soledade, faz parte das discussões territoriais e garante que é preciso mais ação por parte das entidades gestoras de muitos municípios na busca de aproveitar os equipamentos para o fortalecimento do armazenamento de forragem para o fortalecimento da pecuária regional. “Precisa melhorar, tem canto que está funcionando razoável, mas todos precisam melhorar bastante do ponto de vista do conhecimento, já que não é apenas produção de forragem mas também a transmissão de conhecimentos e alcançar muitos outros agricultores da nossa região. Temos alguns fatores limitantes como por exemplo a questão do inverno que esse ano está uma dificuldade muito grande, quem tem um baixio que tem um capim se fez alguma coisa e aonde não teve, as máquinas estão basicamente paradas”, explica Bento afirmando que no ano passado Soledade conseguiu desenvolver cerca de um milhão de quilos de forragem armazenada, graças a utilização dos equipamentos advindos do MDA e o trabalho desenvolvido pelas entidades de agricultores do Coletivo Regional.

style=FONT-FAMILY: ?Arial?,?sans-serif?; FONT-SIZE: 10pt>José Leonaldo Lina de Farias, Leó, é secretário de agricultura de Serra Branca, participou do encontro e foi entrevistado pela equipe do Programa Domingo Rural falando para os ouvintes da Rádio Serrana de Araruna, Rádio Cultura de São José do Egito e Rádio Independente de Serra Branca e falou sobre os passos próximos a serem dados na busca do fortalecimento do território dos Cariris. “Os próximos passos é justamente por em prática todas as discussões, os municípios avaliarem as suas gestões quanto ao uso dessas ensiladeiras, ver a melhor possibilidade para a implantação dos módulos de demonstração das forragens a serem implantadas e logicamente ter um contato maior com o articulador do fórum pra que essas demandas, essas discussões que foram feitas aqui tornem-se concretas e as discussões possam ser implantadas e tenha-se aí os resultados satisfatórios desses projetos há algum tempo já elaborados e implantados com a compra dessas ensiladeiras”, explica Leó, acrescentando que Serra Branca desempenhou um trabalho positivo no armazenamento de forragem, fortalecendo a pecuária e agricultura daquele município. “Surtiu efeito até por conta do modelo de gestão que nós implantamos(em Serra Branca), tivemos uma produção de forragem ensilada satisfatória, atingimos mais de mil toneladas no decorrer de doze meses e até porque fazem apenas treze meses que assumimos aqui essa pasta”.

style=FONT-FAMILY: ?Arial?,?sans-serif?; FONT-SIZE: 10pt>Paulo Medeiros Barreto é presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Barra de Santana, tem estado sempre presente em todas as discussões e, neste encontro, conversou com a equipe do Programa Domingo Rural, falando sobre a importância do evento realizado em Serra Branca, sobre o projeto de desenvolvimento territorial e sobre as ações que vêm sendo desenvolvidas para o fortalecimento do município de Barra de Santana que tem na palma forrageira um instrumento quase exclusivo para a pecuária municipal e, com os novos equipamentos, os pecuaristas vão adotando as novas práticas como alternativa econômica para o município, principalmente com a ameaça da Cochonilha do Carmim que vem ameaçando os palmais de municípios vizinhos. “Nós temos esse trabalho importante de estar discutindo e levando ao conhecimento de nossos agricultores de nossos municípios, principalmente esse projeto de forragem, nós estamos no Cariri, principalmente sob a ameaça da Cochonilha do Carmim, nós somos um dos municípios de maior produção de leite da Paraíba e lá a velha tradição é da palma forrageira, então estamos implantando agora a questão da silagem para que num eventual processo de avanço da cochonilha nós não fiquemos totalmente no prejuízo”, comenta Paulo, explicando o ano de 2009 qunando o município desenvolveu importante trabalho na prática da silagem, que 2010 foi de perdas significativas na agricultura e que a expectativa é de em 2011 desenvolver um trabalho de produção de forragem e de conhecimentos que serão compartilhados com os pecuaristas de todo aquele município.

style=FONT-FAMILY: ?Arial?,?sans-serif?; FONT-SIZE: 10pt>Naqueles territórios estão contemplados com o projeto de forragens o município de Boqueirão, Zabelê, Soledade, São João do Tigre, São Sebastião do Umbuzeiro, Amparo, Alcantil, Barra de Santana, Cabaceiras, Camalaú, Congo, Coxixola, Caturité, Gurjão, Livramento, Monteiro, Ouro Velho, Parari, Prata, Santo André, São João do Cariri, São José dos Cordeiros, Sumé, Serra Branca e Taperoá.

style=FONT-FAMILY: ?Arial?,?sans-serif?; FONT-SIZE: 10pt>Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top