Domingo Rural evidencia fórmula do Sal mineral Agroecológico trabalhado nas mobilizações do P1+2

Falar sobre como fazer o sal mineral agroecológico, a partir de um trabalho que vem sendo feito pela ONG PATAC em parceria com as entidades CASACO, Coletivo de educação Solidária e FOLIA foi uma das metas desenvolvidas pelo Programa Domingo Rural deste domingo(06/06), produtos que são desenvolvidos pelas famílias agricultoras acompanhadas dentro do processo de mobilização pela convivência com o semiárido na dinâmica de estruturação das pequenas unidades rurais com tecnologias adaptáveis a agricultura familiar da região.

Para os componentes das organizações parceiras, o Sal mineral vem na perspectiva de ser uma simples mistura e passa a ser um composto alimentar com diversas finalidades, sendo tido pelas famílias como um complemento alimentar que já começa a contribuir no re-estabelecimento do equilíbrio individual dos animais.

Com informações repassadas pela assessoria do PATAC, Domingo Rural falou sobre a formula usada pelas famílias na região trabalhada por aquela entidade, sobre a composição do sal comum, da Calcita, da cinza, do farelo de milho, do pó de telha e do enxofre que são produtos utilizados na composição do complemento alimentar além de falar sobre a importância do trabalho desenvolvido pelas entidades.

Formula do Sal mineral agroecológico
05 quilos de sal comum
05 quilos de calcita
05 quilos de cinza
05 quilos de farelo de milho
Meio quilo de farelo de vagem de plantas
250 gramas de enxofre
Segundo as informações do PATAC, os ingredientes devem ser bem misturados e a cada quilo da mistura deve ser acrescentada 05 quilos de sal comum.

Domingo Rural evidenciou a informação de que o sal comum, segundo as informações repassadas por aquela entidade, contém os minerais cloro e sódio, essenciais ao funcionamento metabólico dos organismos dos animais e importante para manter a pressão dos líquidos corpóreos a exemplo do sangue.

A Calcita também foi evidenciada, mostrando que é produto originário de rochas ricas, principalmente, em cálcio e magnésio. “Estes minerais, nos seres vivos, são responsáveis pela constituição da estrutura. Necessário para a interação entre sistema nervoso e muscular. Sua deficiência causa em animais jovens: atraso no crescimento(raquitismo e nos animais adultos: emagrecimento e imobilidade(comum em vacas paridas que estão muito magras)” justifica aquela assessoria e informa Domingo Rural aos ouvinte distribuídos pelo semiárido.

Tido como ingrediente na composição, a Cinza que é fruto das plantas da caatinga possui grande diversidade de minerais, desde os macros minerais como cálcio, fósforo, magnésio e outros até micros minerais como zinco, molibdênio dentre outros componentes que são compartilhados e trabalhados no meio rural da agricultura familiar.

As entidades compartilham informações de que quando os animais ingerem os minerais eles gastam style=mso-spacerun: yes>  parte da energia obtida na alimentação para absorvê-los e utilizá-los. Sendo assim, o uso do farelo de milho tem como finalidade, fornecer o mínimo de energia para os organismos absorverem os minerais sem ter que usar aquela obtida da alimentação”, argumenta a assessoria técnica do PATAC ao dialogar com Domingo Rural que repassou aos seus ouvintes.

Utilizado pelas famílias agricultoras mobilizadas pelas entidades da ASA, o pó de telha é tida como finalidade principal disponibilizar o mineral ferro na alimentação dos animais, ingrediente que, segundo as organizações, tem grande importância em situação onde os animais estão parasitados e tiveram parte do seu sangue espoliado. “O ferro compõe as células vermelhas do sangue e sua deficiência provoca anemia (anemia ferropriva)”, explica aquela assessoria técnica.

Já o enxofre é produto também utilizado pelas entidades em razão de ter em sua composição importantes proteínas e enzimas responsáveis por mecanismos de defesa nos organismos animais.

Para as entidades e famílias agricultoras capacitadas para a correta utilização do produto, esse sal composto deve ser usado já que possíveis interrupções no fornecimento causam picos e quedas nos níveis de minerais no organismo animal, com conseqüente diminuição da eficiência produtiva e reprodutiva.

A assessoria técnica do PATAC garante que todos os depoimentos são no sentido de que o sal mineral ajuda a controlar os ectoparasitas, mosca do chifre e carrapato, independente da formulação usada.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top