Dupla paraibana lança Paraíba Grandes Nomes em Cordel

O poeta Manoel Monteiro e o xilografista Josafá de Orós(foto) lançaram o cordel denominado Paraíba Grandes Nomes dentro do Seminário Estadual de Assistência Técnica de Extensão Rural que aconteceu no último dia 21 de maio no Centro de Eventos Ipuarana.

Comparecendo ao local, Stúdio Rural conversou com o poeta Manoel Monteiro falou sobre e sobre o que representa a edição que evidencia Sivuca, José Américo, Ritinha Suassuna, Leandro Gomes, Aluísio Campos, Padre Inácio Rolim, Félix Araújo, Maestro José Siqueira, Augusto dos Anjos, Marinês, Manoel Camilo, João Pedro Teixeira, Geraldo Vandré, José Joffily e Pinto de Monteiro. “O Projeto Paraíba Grandes nomes advêm da minha necessidade que tenho encontrado freqüentemente nas salas de aula quando sou convidado sempre noto que falta nas nossas escolas a divulgação dos nossos valores como exemplo eu cito o Celso Furtado, um economista de fama internacional e, você chega numa escola em muitas escolas paraibanas e o nome desse grande paraibano e brasileiro é completamente desconhecidos, então sentindo a necessidade disso eu fui de vagarinho por minha conta e risco escrevendo biografias toscas, humildes, simples na pobreza maior ainda dos meus versos populares falando a respeito dessas pessoas, visto que a nossa estudantada precisa conhecer nossos valores”, argumenta o poeta cordelista falando do apoio de empresas que se interessaram pelo projeto que chegará aos alunos e alunas das escolas paraibanas, dizendo que com o Cordel a estudantada se interessará por personagens antes pouco ou nunca tratados.

Já para o xilografista Josafá de Orós, responsável pela arte do trabalho, essa é uma contribuição que a dupla, com o apoio de empresas e entidades, está dando a atenção da população e daqueles que fazem políticas públicas no país e no estado para que dê atenção a memória como grande contribuição na formação de nosso povo. “Esse trabalho nasceu de uma questão prática, nós como estudantes nas escolas do estado daqui da Paraíba, quantos de nós não passamos ali, estudamos no Grupo Escolar José Lins do Rego, Grupo Escolar Argemiro de Figueiredo, todo mundo passa ali cotidianamente em baixo daquele nome ali e não sabe quem foi essa personalidade”, argumenta.

Os artistas populares argumentaram sobre a importância de se levar os trabalhos até as diversas escolas espalhadas pelas cidades diversas do Estado da Paraíba e que as pessoas interessadas devem entrar em contato na Rua Vigário Virgínio, 52 – Santo Antônio – CEP 58.103 – 340 – Campina Grande-PB, fone 83 3341 6535 e ou e-mail [email protected] .
JOÃO PEDRO TEIXEIRA – Terra, patrimônio de todos.
01 Vivem felizes os que
style=mso-spacerun: yes>      Sonham pela vida inteira
style=mso-spacerun: yes>      Com o descanso do sábado
style=mso-spacerun: yes>      E a manhã domingueira
style=mso-spacerun: yes>      De acumular energia
style=mso-spacerun: yes>      Pra faina do novo diz
style=mso-spacerun: yes>      Ao chegar segunda-feira.

02 Quem leva os problemas sérios
style=mso-spacerun: yes>      Na base da brincadeira
style=mso-spacerun: yes>      Vai vivendo como a brisa
style=mso-spacerun: yes>      Que sopra a relva rasteira,
style=mso-spacerun: yes>      Vivendo assim, vive bem, 
style=mso-spacerun: yes>      Muito melhor do que quem
style=mso-spacerun: yes>      Vê injustiça grosseira.

03 Quem chora as mágoas alheias
style=mso-spacerun: yes>      Como faz a carpideira
style=mso-spacerun: yes>      Sofre mais do que pedinte
style=mso-spacerun: yes>      Sob chuva molhadeira
style=mso-spacerun: yes>      Quem faz do próximo um irmão
style=mso-spacerun: yes>      Padece como cristão
style=mso-spacerun: yes>      Atirado na fogueira.

04 Quem quer terra dividida
style=mso-spacerun: yes>      Pra gente trabalhadeira,
style=mso-spacerun: yes>      Luta contra o latifúndio
style=mso-spacerun: yes>      Por achá-lo uma porqueira
style=mso-spacerun: yes>      Vai pisar sobre limalha
style=mso-spacerun: yes>      Pois defender quem trabalha
style=mso-spacerun: yes>      É por a mão na fogueira.

05 Quem chama os irmãos mais pobres 
style=mso-spacerun: yes>      Companheiro e companheira
style=mso-spacerun: yes>      Faz das LIGAS CAMPONÊSAS style=mso-spacerun: yes>      
style=mso-spacerun: yes>      Objetivo e bandeira
style=mso-spacerun: yes>      Não tem jeito de ser salvo
style=mso-spacerun: yes>      Há de tombar como alvo
style=mso-spacerun: yes>      De alguma bala certeira.

06 Quem preside ou organiza
style=mso-spacerun: yes>      Associação Campeira
style=mso-spacerun: yes>      Faz dos DIREITOS DO POVO
style=mso-spacerun: yes>      Palco de luta e trincheira
style=mso-spacerun: yes>      Corre o risco de morrer,
style=mso-spacerun: yes>      Ganha, mas, pode perder
style=mso-spacerun: yes>      A batalha derradeira.

07 Quem desafia o destino
style=mso-spacerun: yes>      Tanto faz queira ou não queira,
style=mso-spacerun: yes>      Ganha a causa, perde a vida,
style=mso-spacerun: yes>      Pois a morte matadeira
style=mso-spacerun: yes>      Vence aquele que venceu
style=mso-spacerun: yes>      Com JOÃO PEDRO TEIXEIRA… Autor : Manoel Monteiro.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top