Eleição da Fetag-PB tem pleito mais disputado de sua história, mas mantém antiga direção por mais quatro anos

Um caso quase inédito na história das organizações sociais do campo e da cidade de todo o Brasil acontece na Paraíba onde depois de uma acirrada campanha pela direção da Fetag-PB, Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba, os representantes dos mais de 200 sindicatos de trabalhadores rurais reconduziram o já antigo diretor presidente daquela entidade estadual, Liberalino Ferreira de Lucena, para um mandato que fará com que o mesmo ultrapasse os trinta anos a frente da entidade.

Domingo Rural trabalhou o tema justificando que o acontecimento pode representar um recorde de uma representação no controle de uma organização social que representa diversos sindicatos que, também, conta com modos operandi que passa o poder de pai pra filhos e geração pra geração, e em muitos casos, antigas dinâmicas de trabalho que se limitam ao trato com questões previdenciárias, dentre outras poucas, sem a luta e utilização das práticas atualizadas na busca da construção e execução de políticas públicas e gestão de recursos para o fortalecimento da agricultura familiar municipal e paraibana conforme queixa de representações sindicais progressistas que compõem com as mais de mil organizações da Articulação do Semiárido que, seguidamente têm participado do Programa Domingo Rural e Programa Universo Rural via emissoras parceiras.

A eleição que contou com 602 votantes representou para as representações da chapa II um retrocesso para a Fetag Paraíba, que para as representações do movimento, é conhecida como a mais atrasada do Brasil.

O pleito aconteceu na última quinta-feira(29) onde a Chapa 1 ganhou a disputa com 432 votos contra 150 da Chapa 2, contabilizando uma diferença de 282 votos e 7 brancos nulos.

Para o candidato da chapa 2, Nelson Anacleto, o processo eleitoral foi muito importante por ter despertado no movimento sindical o sentimento de reflexão. “Afinal de contas, praticamente um quarto dos STRs paraibanos querem mudança na gestão da Fetag. Durante três décadas, a Fetag da Paraíba permaneceu alheia às políticas de desenvolvimento direcionadas ao homem do campo. Com o objetivo de mudar esse cenário, a Chapa 2 construiu, junto com os movimentos sociais do campo, um projeto concreto de desenvolvimento para o trabalhador do campo.”, afirma Nelson Anacleto que é componente do Polo Sindical e das Entidades da Agricultura Familiar da Borborema, também do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Lagoa Seca e vereador presidente da Câmara Municipal daquela cidade do Brejo paraibano.

Já para Liberalino Ferreira de Lucena, presidente reeleito na Fetag, o resultado o credencia para dar continuidade ao trabalho que vem sendo realizado e aprimorado pela diretoria da entidade ao longo destes anos, sempre com o objetivo de buscar melhores condições de vida para os trabalhadores e trabalhadoras rurais paraibanos. style=mso-spacerun: yes>  Acreditava muito e acredito nos delegados e delegadas sindicais. Eles vieram em peso e me escolheram para representá-los mais uma vez, com um bom percentual de votos. Estou feliz. Fui muito desrespeitado pelos meus opositores, numa campanha de baixo nível, que entre várias calúnias, me acusavam de ter abandonado os Sindicatos. Isso não se comprovou e o resultado está aí. Ninguém melhor que o povo para julgar, que há 26 anos luta junto comigo. Foi esse povo, que me conhece e que me escolheu para representá-los por mais 4 anos, explica Liberalino através de sua assessoria.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top