Embrapa e Pólo discutem retomada da produção de batatinha na região de Esperança

Entidades de agricultores e agricultoras familiares estiveram reunidas com a Embrapa Transferência de Tecnologias, escritório de Campina Grande, através do gerente Lenildo Dias de Morais, para discutir a retomada do plantio da batatinha a partir de variedades pesquisadas pela Embrapa da cidade de Canoinha-SC. Para viabilizar o processo a Embrapa apresentou uma proposta de trabalhar unidades de multiplicação da semente numa ação de pesquisa participativa com a inclusão das famílias agricultoras e entidades representativas.

A reunião aconteceu no último dia 11 na AS-PTA, em Esperança, e contou com representações de Sindicatos de Trabalhadores Rurais vinculados ao Pólo Sindical e das Entidades da Borborema, AS-PTA,  além da Embrapa Transferência de tecnologia que apresentou os materiais de qualidade genética trabalhados pela Embrapa e ao mesmo tempo escutou as propostas lançadas por parte das entidades no sentido de fazer um trabalho em propriedades de agricultores familiares agroecológicos de forma participativa.

“Essa reunião de hoje foi muito proveitosa porque a gente conseguiu dialogar com o Pólo Sindical e a AS-PTA na perspectiva da gente fazer uma discussão de saberes aqui. A Embrapa tem uma tecnologia que é a produção da semente e eles têm uma tecnologia apropriada que é trabalhar a produção de sementes agroecológicas, então nós estamos trazendo a semente pra cá e estamos dialogando com eles para que a gente possa está multiplicando essas sementes aqui e fazer com os agricultores desta região, que já foi um grande pólo de produção de batatinha, com que seja revitalizada a partir dessa multiplicação dessa semente”, relata Lenildo Dias de Morais ao dialogar com a equipe Stúdio Rural.

Nelson Anacleto é componente do Pólo Sindical da Borborema e, em contato com os ouvintes dos Programas Rurais de Stúdio Rural, falou sobre a proposta levada por Lenildo Dias de Morais que é trabalhar a multiplicação de quatro variedades de batatinha aqui na região de Esperança e municípios vizinhos, afirmando que a proposta da Embrapa contempla as entidades de agricultores e que a empresa de pesquisas parece viver um novo tempo de relação com os movimentos da agricultura familiares. “Nós sabemos que os problemas nós não resolvemos de um dia pra o outro. Primeiro essas variedades vão ser experimentadas aqui porque ninguém sabe se são compatíveis, elas estão vindo do sul do Brasil”, alerta Anacleto, acrescentando que com base nos resultados as entidades de agricultores farão esforço no sentido de expandir os resultados junto as famílias agricultoras no sistema agroecológico.

Roselita Victor é componente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Remígio, agricultora e componente do Pólo Sindical da Borborema e falou sobre a importância da proposta apresentada pelo gerente da Transferência de Tecnologias, Lenildo Dias, e falou sobre a forma que as entidades trabalharão no sentido de envolver as famílias agricultoras interessadas na retomada da cultura da batatinha de forma agroecológica nos municípios adjacentes a Esperança. style=mso-spacerun: yes>  “A batatinha tem lugar, tem uma cobrança de consumidores nas feiras agroecológicas dessa região que cobram dos nossos produtores agroecológicos”, relata Victor ao se reportar a procura do produto limpo no mercado de consumo consciente, lembrando também do Programa de Aquisição de Alimentos da Conab que tem precisado de linhas de produtos para fazer avançar o programa de inclusão nas ações sociais.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top