Pesquisa, ensino e famílias agricultoras avaliam campos consorciados com oleaginosas e palma forrageira

A Embrapa, UFPB campus Areia, Arribaçã dentre outras parceiras realizaram um encontro de agricultores familiares do município de Remígio no Assentamento Queimadas com o objetivo de trabalhar um processo de avaliação participativo onde os agricultores e agricultoras avaliaram as unidades consorciadas com culturas de gergelim, amendoim, algodão e palma forrageira num sistema de agroecologia.

O encontro das famílias agricultoras envolveu componentes dos Assentamentos Queimadas e Oziel Pereira e se deu no último dia 12 onde avaliaram áreas consorciadas entre o algodão, palma e amendoim. Noutra unidade o consórcio entre a cultura do gergelim, amendoim e a palma, dentre outras combinações.

“O objetivo é passar a experiências pra eles do consórcio, da integração de oleaginosas a cactácea que é a palma que é tão conhecida aqui na região do Brejo paraibano, e essas experiências só vêm a somar na questão da produção de áreas do agricultor e é interessante fazer essa avaliação participativa por conta de que eles têm muito o que passar pra gente, eles têm muito a nos ensinar, então a gente procura sempre trazer essa experiência de vida que eles têm pra analisar e fazer uma avaliação em cima da avaliação de cada um”, argumenta o estudante de agronomia(Campus Areia-PB) e coordenador do trabalho, Gildivan dos Santos Silva.

“Essa parceria de em conjunto de conhecimentos na agricultura é muito boa não só pra gente, a gente além de aprender vai passando pra outros produtores e o importante na agricultura é a gente evoluir e procurar melhorias, trabalhar em consórcios, não ficar só pegado ao milho, o feijão, a gente tem que mexer com tudo”, explica o agricultor Elias Almeida da Silva, residente no Assentamento Queimadas.

“Além da Embrapa, os outros parceiros universidade, trabalhadores rurais e todos os segmentos que defendem a construção do conhecimento pela forma participativa, validação dos atores sociais que efetivamente vão utilizar e vão dessa tecnologia. É um momento muito importante e enriquecedor pra todos nós que vivemos aqui no agreste da Paraíba no Assentamento Gabinete(Queimadas) e onde a Embrapa se orgulha em está construindo esse conhecimento junto aos agricultores, com os estudantes, com os pesquisadores, para que nós tenhamos resultados proveitosos e que esses agricultores se sintam cada vez mais fortalecidos e motivados para que recuperemos toda a sua dignidade, capacidade de produção e de qualidade de vida no campo”, explica o assessor da área de comunicação e negócios da Embrapa Algodão, Heleno Alves de Freitas, ao falar sobre o papel das instituições em dar oportunidades ao produtor rural e sua família.

style=COLOR: black>Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top