Encontro de latino americanos em Campina Grande é tema evidenciado por Stúdio Rural

O encontro de lançamento do projeto latino americano Aliança pela Agroecologia, iniciado na tarde desta terça-feira(25/03), em Campina Grande com continuação nesta quarta-feira(26/03) a partir de visita de intercâmbios nos municípios de Massaranduba, Remígio e Solânea é tema de nosso Stúdio Rural e, consequentemente, nos Programas Universo Rural e Domingo Rural desta semana.

Promovido pela ONG AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia, o evento teve abertura na tarde desta terça-feira no auditório do Insa e contou com professores, ONGs, Sindicato de Trabalhadores Rurais, pesquisadores, agricultoras e agricultores experimentadores e representações de países latino americanos e teve em sua programação exposição das experiências da agricultura familiar agroecológica do Polo Sindical da Borborema, uma mesa redonda tratando experiência da agroecologia na América Latina e ao final contou, também, com um coquetel de lançamento que aconteceu na parte da noite, no Day Camp Hotel, zona rural de Campina Grande.

“Nesse seminário de hoje a gente trouxe a expressão de um trabalho num território, num território que tem construído agroecologia, que tem fortalecido a agricultura familiar, que tem reconhecido cada vez mais o papel dos agricultores e agricultoras nesse projeto de desenvolvimento de um território e aí esse território, na verdade, que tem na sua pauta agroecologia, tem construído e tem fortalecido relações com as políticas públicas, então algumas políticas públicas a gente consegue fazer com que elas venham para fortalecer o trabalho que já existe, as experiências que já existem na relação com o acesso a água, a autonomia em relação as sementes, mas também é um território em disputa de enfrentamento em que há um investimento pesado do agronegócio em relação a fumicultura, onde tivemos em 2010 um investimento forte e pesado do próprio estado para o uso do agrotóxico em relação a fruticultura e aí, na verdade apesar desses avanços nas políticas que têm garantido a autonomia ao acesso a água, a autonomia no acesso a semente também há todos esses desafios porque na verdade estamos numa disputa de modelos”, explica a coordenadora do Polo Sindical da Borborema e diretora do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Massaranduba, Maria Leônia Soares, Léia, que foi também expositora do conjunto de ações e práticas agroecológicas exercidas ao longo de quase duas décadas e que envolve elevado número de famílias em quinze município no Território da Borborema.

Entrevistado por Stúdio Rural, o professor da Universidade Federal da Paraíba, Campus Bananeiras, Alexandre Eduardo Araújo, enfatizou a importância do evento que tem como meta principal intercambiar as experiências agroecológicas trabalhadas em diversos países da América Latina. “Foi extremamente importante que esse evento acontecesse aqui em Campina Grande, nessa porta do semiárido que tem aqui no nosso estado da Paraíba, no Território da Borborema onde a dinâmica é uma dinâmica forte que elucida essa manifestação da agricultura familiar enquanto modo de vida construindo uma sociedade diferente, mais harmônica, uma sociedade com melhor relacionamento com a natureza, que produz alimento saudável sem uso de venenos pra nossa população evitando aí inúmeras doenças para nosso povo”, explica dizendo ter sido momento oportuno em que o Ministério Público Federal está tentando proibir a comercialização de oito agrotóxicos que circulam na agricultura brasileira e que são proibidos em diversos países desenvolvidos e que não Brasil ainda persiste o processo de comercialização.

Ao dialogar com Stúdio Rural, o coordenador do projeto Gabriel Fernandes informou tratar-se da reunião de um grupo de organizações de seis países que trabalham com a promoção da agroecologia e o fortalecimento da agricultura familiar agroecológica dos povos camponeses que já vem trabalhando experiências sustentáveis e garante que o projeto objetiva avaliar, nesses países, como que a agricultura agroecológica está avançando. “A gente sabe que hoje existe um reconhecimento cada vez maior dos governos em relação ao papel que a agroecologia tem para o abastecimento da população e também para a própria agricultura familiar e a gente sabe que pra além desse reconhecimento dos governos, por mais que exista esse reconhecimento ainda tem muito desafio, muita coisa a ser percorrida pelas organizações, então assim como a gente ver no Brasil uma política recente de apoio a agroecologia, em outros países da América Latina isso está acontecendo também, só que a gente ver que só a criação da política não quer dizer que os problemas todos do campo estão resolvidos, então nossa ideia é reunir outros países da América Latina que estão passando por momento mais ou menos parecidos com o nosso e que a gente possa fazer um grande intercâmbio de ideias, intercâmbio de experiências, intercâmbio de aprendizados pra ver até onde que a gente conseguiu avançar, como foi possível avançar e que é que a gente tem de desafios pela frente. Então a gente aposta muito nessa troca de experiências para que a gente consiga avançar nos aprendizados e nos caminhos para apoiar a agricultura familiar e a agroecologia”, explica Fernandes ao dialogar com nossa equipe.

Na manhã desta quarta-feira(26/03) três experiências agroecológicas do Polo da Borborema serão visitadas, a da família da agricultora Vanderli Florentino da Cruz, dona Vanda, residente no Assentamento Corredor, no município de Remígio; a experiência da família do agricultor José Domingos de Barros, Louro, residente na comunidade Cachoeira de Pedra D’água, zona rural de Massaranduba; e a experiência da família do agricultor experimentador Luiz Pereira de Sousa, residente na comunidade Salgado do Sousa, em Solânea.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Universo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top