Entidades e governo se reúnem para discutir próximos passos ruma à produção da batatinha agroecológica

Entidades diversas ligadas a agricultura familiar agroecológica da Borborema estiveram reunidas no último dia 13 para discutir e planejar ações que intensifiquem as ações da produção da agroecologia agregando a batatinha no sistema agroecológico como mais um produto nos sistemas de produção diversificados.

O encontro aconteceu no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Lagoa Seca e contou com a participação da Secretaria da Agricultura Familiar do Estado da Paraíba, Emater, Embrapa Algodão, Embrapa transferência de Tecnologias escritório de Campina Grande, sindicatos de trabalhadores rurais, BNB e representações do Pólo Sindical e das Organizações da Agricultura Familiar da Borborema dentre outras.

Emanoel Dias sobre é assessor da agricultura através da ONG AS-PTA, e ao dialogar com Stúdio Rural, disse que a construção do Projeto da retomada do plantio da Batatinha no Pólo da Borborema é de fundamental importância para a melhor qualidade de vida das famílias agricultoras e, especialmente, para o consumidor que vem pedido essa linha de produtos nos espaços agroecológicos. Essa reunião de hoje aqui ela é mais uma etapa do processo que vem sendo desencadeado já há dois anos, então a gente partiu do pressuposto de que os agricultores tinham sementes de batatinha, tinham suas batatas agroecológicas, no ano passado foi adquirido uma grande quantidade de sementes para a produção e agora n[os estamos discutindo as questões de acompanhamento, de informação, de continuar com essa dinâmica toda, então aqui hoje veio favorecer esse trabalho”, explica Dias acrescentando que trata-se de um trabalho bem articulado entre governos e sociedade organizada.

Alexandre Eduardo é secretário da agricultura familiar do governo do estado e, ao falar com Stúdio Rural, disse que é uma determinação do governador Ricardo Coutinho de que a secretaria tenha ações efetivas para o fortalecimento da agricultura familiar e uma dessas ações é o fortalecimento da batatinha na região da Borborema. “Uma das características é que isso não é um processo solitário isolado, isso é um processo interinstitucional a partir das parcerias com o Pólo Sindical da Borborema, com AS-PTA, organizações não governamentais e a firme presença do governo a partir de sua instituição de extensão e assessoria técnica que é a Emater, então nós estamos aí tudo juntos agricultores, agricultoras, suas organizações e o puder público, inclusive hoje aqui com a presença do Banco do Nordeste do Brasil investindo numa atividade geradora de riquezas e geradora de divisas para o nosso estado envolvendo um universo nesse momento de 104 famílias e em breve nós teremos aí uma coroação de êxito de batatinha”, explica Alexandre dizendo que no mês de outubro as entidades estarão realizando a festa da batatinha em cidade da região.

O gerente da Embrapa Transferência de Tecnologias, escritório de campina Grande, Daniel da Silva Ferreira, disse que da importância do trabalho desenvolvido em parcerias e falou sobre as ações que vêm sendo desenvolvidas por aquela entidade responsável pela transferências dos produtos pesquisados por todas as unidades da Embrapa espalhadas por todo o território nacional e lembrou que a Embrapa está oferecendo sementes de excelente qualidade que vem contribuir na retomada da cultura tornando a região auto-suficiente na produção de batatinha desde a multiplicação de sementes como produtos alimentícios que chegará ao mercado consumidor. “Eu acho que o colega Lenildo quando gerente ele foi muito feliz nessa decisão de trazer(sementes) e nós com certeza vamos dar continuidade a esse processo. Na verdade o que se quer enquanto Embrapa enquanto instituição pública é o desenvolvimento do homem do campo, então esse é um papel que é difícil, mas com a união das instituições e com os agricultores nós chegar a um denominador comum que é o desenvolvimento do homem do campo”, explica Daniel, enfatizando que a Embrapa continuará sua luta junto as entidades no processo de capacitações com a produção de batata semente. “Nós já articulamos com o pessoal o escritório de Canoinhas-SC e eles já se predispuseram a vir pra dar um curso treinamento, uma capacitação ao pessoal na questão de produção de sementes de batata, mantendo assim as características genéticas desejáveis de sanidade e todos os requisitos que são necessários para a manutenção dessa qualidade.

Nelson Anacleto é componente do Pólo Sindical e das Organizações da Agricultura Familiar da Borborema e garante que a preocupação das entidades do Pólo é que a produção aconteça dentro da lógica da diversidade que é quem dá condições para a produção agroecológica e diz que o apoio das entidades demonstra que é possível fazer um trabalho fortalecido com tecnologias e práticas voltadas ao desenvolvimento e a convivência com a realidade semiárida. “Temos que está todos juntos apesar de que grande parte dessas culturas os agricultores já tem sua sabedoria, eu acho que precisa agora a extensão, a pesquisa reconhecer os conhecimentos dos agricultores e aprender com os agricultores e evidentemente aprender com os agricultores que já fazem isso podendo eles mesmos, que já fazem isso, serem transmissores de conhecimentos para outros agricultores que muitas vezes são convencionais em sistemas que foram orientados pela própria pesquisa e extensão através dos pacotes governamentais, mas aí o que eu quero colocar é importante, eu acho que é necessário exatamente que haja essa interação entre pesquisa, extensão e os agricultores para suma do conhecimento que em vez de ser vertical ele passe a ser horizontal”.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top