Entidades municipais e governos realizam 2ª Conferência de desenvolvimento rural da Borborema

Entidades governamentais e da sociedade civil componentes do Território da Borborema realizaram 2ª Conferência Territorial de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário do Território da Borborema em evento que aconteceu durante a última segunda e terça-feira, dias 05 e 06, tendo como local o Centro de Eventos Maristas, em Lagoa Seca.

O tema foi evidenciado no Programa Universo Rural da Rádio Bonsucesso de Pombal, na quarta-feira(07/08) e no Programa Domingo Rural deste domingo(11/08) quando diversas lideranças foram entrevistadas falando sobre a importância do evento e sobre os temas trabalhados.

Antônio Ferreira Filho é assessor técnico da Emater-PB e integrado da coordenação daquele território, participou do encontro e dos programas radiofônicos rurais e explicou que a semana foi composta de diversas conferências territoriais numa dinâmica de mobilização de um público de cerca de 600 pessoas nas conferências municipais e que agora fecha a etapa das conferências territoriais de desenvolvimento rural sustentável e solidário e garante que a Borborema vem sendo referência em razão do conjunto das ações agroecológicas desenvolvidas naquele território. “A Borborema é um território diferenciado, primeiramente por ser um território agroecológico reconhecido no Nordeste e no Brasil inteiro como um território agroecológico e que tem experiências inovadoras, experiências na área da agroecologia, da transição da agroecologia, a questão das sementes da paixão, a questão das cisternas de placas, cisternas calçadão, barreiros trincheiras, fortalecimento dos recursos hídricos, então são experiências fortes, a questão da juventude rural, das mulheres rurais são experiências que com certeza nós vamos levar para a conferência estadual e, com certeza, estaremos também em Brasília, na conferência nacional em outubro, socializando as experiências da Borborema e do Estado da Paraíba á nível nacional”.

Antônio Alves da Silva é delegado adjunto federal do Desenvolvimento Agrário, na Paraíba, participou do encontro e do Domingo Rural e Universo Rural informando que as conferências estão acontecendo em todo o território nacional e que na Paraíba são 15 territórios trabalhando os encontros que já vem referenciado pela 1ª Conferência nacional e estadual acontecidas no ano de 2008 afirmativas das políticas governamentais de desenvolvimento rural brasileira numa dinâmica de sustentabilidade. “Na Paraíba foram realizadas conferências municipais com experiência espetacular do território Borborema em que todos os 21 municípios realizaram conferências municipais, estamos realizando as conferências territoriais em nosso estado em que são 15 territórios e todos os territórios vão ter a sua conferência territorial e no dia 16 vamos realizar a conferência das mulheres que a gente chama setorial que tem como foco a participação das mulheres nas políticas públicas, como também juventude, como forma da gente estar incluindo a juventude no desenvolvimento sustentável já que nossos agricultores estão ficando sozinhos porque a juventude não tem oportunidade lá no campo e por isso é necessário a gente estar fazendo essa discussão”, argumenta durante parte de seu diálogo com os ouvintes de nossas emissoras parceiras.

Maria do Céu Batista de Santana, é agricultora residente na comunidade Videl, município de Solânea, componente do Pólo Sindical da Borborema, participou do encontro e de nossos programas radiofônicos falando o que representa para a agricultura, especialmente para a agroecologia que vem em pleno desenvolvimento em todos os municípios daquele território que já é reconhecido como território agroecológico. “A gente fica muito feliz num encontro desses a gente ter agricultores, gestores municipais, a gente ter a sociedade como associações comunitárias, a gente estar todo articulado num diálogo onde envolve o trabalho dos agricultores e agricultoras, estamos no segundo dia desta conferência e são quatro itens que estão aí sendo discutidos por agricultores, gestores, conselhos municipais, associações, as ONGs então a gente está nesta discussão em busca de alternativas que permaneça e prevaleça a questão do foco que é a agricultura familiar em si, principalmente baseada na agroecologia, agricultores e agricultoras que vêm construindo isso aqui no território da Borborema, de forma que eles não estão utilizando mais veneno, estão se conscientizando na forma de trabalhar a sua terra, na forma de plantar uma árvore, de ter o cuidado com a própria natureza e com a mãe-terra, então essa agricultura vem sendo validada a partir do momento que acontece essas conferências”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top