Estatal de pesquisas apresenta encontro tecnológico sobre efeitos da mudança climática no café

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) realizará, nesta quinta-feira (30), na Fazenda Experimental de São Sebastião do Paraíso (FESP), o 6º Encontro Tecnológico do Café onde cafeicultores, estudantes, consultores, cooperativas conhecerão em 10 estações no campo as tecnologias que visam atender a produção cafeeira e minimizar os impactos causados pelas mudanças climáticas na cadeia produtiva.

A informação foi repassada pela assessoria daquela estatal de pesquisas, justificando que “Aquecimento global e as pragas do cafeeiro”, “Efeitos das alterações climáticas sobre as principais doenças do cafeeiro”, “Novas Cultivares de café da EPAMIG” e “Fisiologia do cafeeiro sobre altas temperaturas” serão os temas apresentados por pesquisadores da EPAMIG e professor da Universidade Federal de Lavras (Ufla) durante o evento.

Aquela assessoria informou que o chefe do Centro de Pesquisa da EPAMIG Sul de Minas, Gladyston Carvalho, apresentará aos participantes a cultivar Travessia, lançada pela EPAMIG no ano passado, já testada em algumas propriedades cafeeiras do Sul de Minas e que a EPAMIG vem desenvolvendo cafés geneticamente modificados que resistem a temperaturas mais altas, e também resistentes às novas pragas e doenças. “Na Circular Técnica “Mudanças climáticas e as pragas do cafeeiro” (nº. 51), os autores, pesquisadores da EPAMIG, Júlio César, Rogério Antônio Silva e Paulo Rebelles Reis, confirmam que nos últimos anos, o clima da Terra vem sofrendo mudanças e o principal indicador dessas mudanças é o aumento da temperatura e a região Sul de Minas também está sendo afetada”, relata, acrescentando que outras alterações são a elevação do nível dos mares, os grandes maremotos e incêndios florestais, também enchentes e secas.

Com base nessa realidade, informa, a EPAMIG desenvolveu pesquisas sobre as pragas do cafeeiro, por meio de vários experimentos realizados em todas as regiões cafeeiras do Estado, inclusive no Sul de Minas, principal região produtora.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top