Fetag, Famup e OAB discutem Reforma da Previdência em evento na capital paraibana

SR010217aA Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado da Paraíba (Fetag-PB), a Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) e representações da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Paraíba (OAB-PB), na pessoa de seu presidente Paulo Maia, se reúnem na manhã desta quinta-feira(02), no auditório da Fetag objetivando discutir os prejuízos sociais e econômicos para os municípios e a sociedade, em especial para a população do Campo, caso seja aprovado no Congresso Nacional o Projeto de Emenda Constitucional sobre da Reforma da Previdência Social.

Segundo informações da assessora de comunicação daquela federação dos rurais, Neudja Farias Henriques, participarão cerca de 300 lideranças do Campo e, conforme o presidente da entidade, Liberalino Ferreira de Lucena, na oportunidade será apresentada uma análise técnica que desmonta o argumento de que os Trabalhadores Rurais contribuem para o déficit da Previdência, explicando tratar-se de um estudo mais aprofundado do outro (Previdência Social Rural: Potencialidades e Desafios), apresentado na Paraíba, em novembro, pela Contag, quando foi mostrado que não há déficit na Previdência Social, integrada ao sistema de Seguridade Social. “Os dados vêm de pesquisas realizadas pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Associação Nacional dos Auditores da Receita Federal (Anfip), pela própria Receita Federal, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de estudos acadêmicos, e diversas outras fontes de pesquisa, que trouxeram questões técnicas e números atualizados sobre a Seguridade Social do Brasil”, explica Neudja ao dialogar com Stúdio Rural.

Aquela assessora explicou ainda que a Fetag-PB realizou ainda no mês de junho de 2016, uma grande mobilização que levou milhares Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais em protestos pacíficos na cidade de Campina Grande e na capital paraibana que culminaram com a ocupação das Gerências do INSS desses dois municípios. “Em setembro do mesmo ano, reuniu cerca de 500 lideranças para cobrar dos representantes da bancada paraibana no Congresso um posicionamento acerca da Reforma da Previdência Social”, finaliza Neudja.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top