Guardiões das sementes e preservação das variedades locais são temas de encontro do Coletivo Regional

Agricultores e agricultoras familiares e assessores do Coletivo Regional do Cariri, Seridó e Curimataú que fazem parte da Comissão Temáticas Sementes da Paixão se reuniram na última quarta-feira(03/08) na sede daquele coletivo da agricultura agroecológica daquelas microrregiões para discutir assuntos relativos aos guardiões das sementes da paixão e da biodiversidade regional, trabalhão que o movimento vem realizando para identificação, mapeamento e valorização das famílias que estão preservando suas sementes da paixão através de bancos de sementes familiares e comunitários enquanto instrumento fortalecedor da segurança alimentar das famílias agricultoras e a conservação da biodiversidade da região do Coletivo.

Raquel Nunes de Oliveira é jovem agricultora na comunidade Sussuarana de Juazeirinho e coordenadora da comissão, foi entrevistada pela equipe Stúdio Rural e falou sobre o que são as comissões dos guardiões das sementes da paixão, garantindo que o movimento já tem dois anos de atuação e vem sistematizando informações que contribuirão com o fortalecimento das ações. “Há um bom tempo a gente vem se organizando aqui na região e buscando estratégias que fortaleçam a agricultura familiar camponesa, e uma das ações que recentemente a gente vem realizando desde 2008 é as missões das sementes da paixão que têm o papel de valorizar a biodiversidade da região e com isso a gente está possibilitando a troca de conhecimentos entre as comunidades dos municípios do Coletivo e essas trocas de conhecimentos vêm resultando no mapeamento da biodiversidade local onde a gente não só mapeia a semente da paixão, mas as plantas medicinais, os animais com toda essa valorização da biodiversidade”.

Na reunião, a comissão fez um balanço sobre os trabalhos desenvolvidos com campos de multiplicação de sementes com variedades diversas em unidade produtiva no município de São Vicente do Seridó com perspectiva de dar continuidade ao trabalho como forma preventiva para anos futuros de poucas chuvas. “A gente chama sementes da paixão porque é a semente que há muito tempo vem sendo preservada por agricultores e agricultoras e é o conhecimento que está sendo passado de geração em geração, daí a importância de está valorizando toda a diversidade de sementes. São muitas espécies de sementes e muitas variedades”, explica Raquel, dizendo que são variedades adaptadas ao clima, solo dentre outras características da região.

Ela enfatizou a importância das cisternas calçadão e lembrou que o inverno deste ano assegurou muitos recursos hídricos que contribuição para o complemento da produção agrícola nesta safra. “Todas essas estratégias que a gente está trabalhando no coletivo vêm a cada dia fortalecendo a agricultura familiar e através das barragens subterrâneas e as cisternas para a produção de alimentos é que essa produção vem sendo fortalecida e garantindo que o agricultor e a agricultora tenham uma produção bastante diversificada que garante a sua segurança alimentar até que seus produtos sejam comercializados para que também melhore a renda da família agricultora”, explica Raquel ao dialogar com os ouvintes do Programa Domingo Rural e Universo Rural.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top