INSA promove oficina sobre educação contextualizada no Semiárido

O Instituto Nacional do Semi-Árido (INSA) está promovendo durante esta segunda-feira (30) e amanhã (31), em Campina Grande (PB), a oficina Educação Contextualizada no Semi-Árido Brasileiro: Construção de uma proposta de curso de especialização, com a participação de representantes das Secretarias de Educação dos Estados que compõem o Semiárido brasileiro.

Stúdio Rural comparece ao local e conversou com educadores de instituições diversas falando sobre a importância da realização do evento para um novo momento cultural na região, sobre onde tem início essa nova dinâmica de pensar a região a partir da contextualização da cultura, sobre a experiência desenvolvida no Sertão da Bahia e no Estado do Piauí dentre outras informações para os ouvintes e leitores da comunicação Stúdio Rural.

Ao contatar com Stúdio Rural o diretor do INSA, Roberto Germano Costa, iniciou falando sobre onde entra o INSA no processo de construção da oficina por uma discussão em torno das políticas de contextualização da educação no Semiárido brasileiro. “Para isso nós buscamos parceiras com órgãos que já tinham experiências na região do Nordeste nesta temática, buscamos a Resab que é uma rede de educação para o semiárido brasileiro e a partir daí buscamos experiências já realizadas em alguns estados da federação a exemplo do que o Instituto já trabalhou junto a secretaria de educação do Estado do Piauí com experiências piloto na área de educação contextualizada, isso fez com que esse ano iniciássemos aqui no território do Curimataú o primeiro projeto piloto voltado para a educação contextualizada no semiárido”, argumentou Roberto.

A representante do Estado do Piauí no evento, Conceição de Maria de Sousa e Silva, disse que o encontro está acontecendo num instante muito especial já que reúne vários estados do Nordeste que estão no semiárido colocando o que cada unidade tem feito em relação á discussão em educação contextualizada, em relação a produção de conhecimento e, neste aspecto, o Piauí está mostrando ações relacionadas a produção de conhecimento voltada para o semiárido e sobre como estas temáticas têm chegado nas escolas e sobre os trabalhos de capacitação de profissionais que ampliarão as ações na educação estadual.

A educadora e representante da RESAB, Dede de Educação no Semi-Árido, Adelaide Pereira disse o encontro é um dos mais significativos na trajetória da própria RESAB, dizendo que o trabalho compartilhado com as universidades poderá ter impactos importantes na consolidação dos trabalhos, tornando visível o papel da educação contextualizada e somando na mobilização para o maior envolvimento das secretarias de governos municipais e estaduais na busca de construção de políticas públicas. “Nós estamos desconstruindo o discurso e a imagem de semiárido para poder pensar num projeto de desenvolvimento do semiárido e não para o semiárido, porque se eu digo para o semiárido estou dizendo de novo que eu faço e levo pra lá”, exemplifica Adelaide, dizendo acreditar que muito tem que ser feito por parte de todas as entidades que querem o Nordeste consciente de suas potencialidades com lançamento de divulgações editoriais que divulguem as experiências nos diversos campos de produção.

O evento está sendo realizado na sede do Instituto, com a presença de representantes da RESAB (Rede de Educação do Semi-Árido Brasileiro) e da Secretaria Estadual de Educação do Piauí dentre outras representações interessadas nas ações voltadas à Educação para a Convivência com o Semiárido brasileiro.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top