Jovem agricultora de Queimadas é assassinada pelo pai em Barra de Santana e tem corpo jogado no município de Aroeiras

JVMais um caso de violência com a mulher agricultora foi registrado na região transitória do Agreste Cariri paraibano, desta vez no município de aqui Barra de Santana em que foi vítima a jovem agricultora da comunidade Lutador de Queimadas, Elaine de Sousa Nascimento(17 anos), conhecida por Pequena, que por circunstância da vida, passou a morar no município de Barra de Santana e no último dia 17 de julho, foi assassinada, tendo como assassino o próprio pai da jovem, João Valentim do Nascimento(Dão).

No dia 19, numa sexta-feira, Stúdio Rural foi contatado pelo Comitê Ana Alice Contra a Violência, do Sindicato dos Trabalhadores de Queimadas, informando de um possível desaparecimento de uma jovem que já havia feito parte do grupo de jovens camponeses daquele sindicato, daí iniciou-se o diálogo com a equipe do STR e com a delegada de Queimadas, Maria do Socorro, dentre outras fontes importantes, buscando dar sentido ao sumiço da jovem que se deu na noite da quarta-feira.

Na quinta-feira(18) o pai da jovem compareceu à delegacia para informar que a filha tinha fugido com um jovem desconhecido defronte a um mercadinho na noite anterior sem deixar qualquer informação para onde iria com o desconhecido que o pai supunha ser namorado da menina.

Valentim do Nascimento(Dão), disse que saiu de casa na companhia da filha às 18 horas da quarta-feira objetivando fazer umas compras de alimentos num mercadinho da cidade de Queimadas e que ao chegar na loja comercial a filha passou a dialogar com um desconhecido e após alguns minutos desapareceu, fazendo com que ele procurasse por diversas ruas daquela cidade e em seguida fosse embora para casa sem a jovem.

Mesmo diante das possibilidades da filha ter ido para a casa de um namorado que, segundo Valentim, residia na comunidade Barriguda de Barra de Santana, o Comitê Ana Alice continuou buscando informações durante a sexta-feira, conduzindo as investigações policiais para a possibilidade da jovem estar sumida e em seguida a tese de se tratar de uma violência doméstica e ao final da tarde da sexta a tese já se trabalhava para a possibilidade do pai ter responsabilidade no sumiço daquela menina.

No sábado pela manhã a madrasta da jovem e esposa de Dão, Maria José Barbosa(Bida), informou que um desconhecido compareceu à sua casa para informar que o corpo da pequena estava jogado no sítio Caracolzinho de Aroeiras, o que fez com que nossa equipe, autoridades policiais, componentes do Comitê dentre outras se deslocassem para o local, constatando que se tratava realmente do corpo da jovem estudante agricultora(foto).

As autoridades policiais desenvolveram o trabalho de praxe, em seguida transferiram o corpo para a Unidade de Medicina Legal; o delegado plantonista Júlio César conduziu a madrasta e outros familiares para Campina Grande no sentido de prestar esclarecimentos e em seguida ficou constatado que o próprio pai havia matado a filha(Clique e leia) e indicado para a família o local onde estava o corpo.

Na parte da noite daquele sábado o corpo foi liberado pela Unidade de Medicina Legal e em seguida foi conduzido para a cidade de Barra de Santana onde, em razão do avançado grau de decomposição, foi sepultado às 22:45 horas no cemitério daquela cidade.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

 

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top