Oficina discute uso do biodiesel no combate às desigualdades regionais

“O programa de biodiesel é uma estratégia de desenvolvimento regional atrelada à missão de combate às desigualdades, não sendo uma política de um ministério ou do Governo Federal, mas uma política de Estado”, declarou o secretário de Políticas Regionais do Ministério da Integração Nacional, Maurício Rodrigues, na abertura da Oficina de Trabalho “Biodiesel como inclusão social no semi-árido nordestino”, no último dia 15 de março, na sede do Banco do Nordeste, em Fortaleza (CE).

Representando o ministro Pedro Brito, segundo informou a assessora do BNB na Paraíba, Susana Rocha, Rodrigues falou sobre os avanços, desafios e estratégias do programa e destacou que a nova política de desenvolvimento procura enxergar as diversidades inter e intra-regionais como oportunidades para a inclusão social. “Segundo o secretário, um dos principais desafios do programa será articular políticas sociais e competitividade, de forma a promover a sustentabilidade”, informou Susana.

Susana Rocha informou que em relação ao desenvolvimento tecnológico, o BNB lançou, em 2006, aviso específico para a seleção de projetos focados na produção de biodiesel, voltados para a modernização e solução de gargalos específicos dessa cadeia produtiva e que foram disponibilizados recursos da ordem de R$ 800 mil, não-reembolsáveis, oriundos do Fundo de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Fundeci), administrado pelo Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Banco.

Rocha informou que no painel “Financiamento”, a gerente do Ambiente de Políticas Regionais do Banco do Nordeste, Manuelita Brito, proferiu palestra sobre a contribuição da Política de Desenvolvimento Territorial do BNB para o Programa do Biodiesel com Inclusão Social.

Susana informou que o gerente do Ambiente de Gerenciamento do Pronaf e Programas de Crédito Fundiário do BNB, Luís Sérgio Farias Machado, destacou as políticas tecnológica, creditícia e territorial do BNB relacionadas ao Programa do Biodiesel e que dentro da política tecnológica, Luís Sérgio abordou o apoio do BNB a projetos de pesquisa e difusão, como por exemplo a introdução e avaliação de cultivares de mamoeira, a produção de sementes básicas de mamona, o sistema de irrigação para a mamona, entre outros.

“Durante o evento no BNB, foi assinado termo de cooperação técnica entre o diretor geral do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs), Eudoro Santana, e o gerente de desenvolvimento energético da Petrobras, Mozart Queiroz. O protocolo tem como objetivo integrar ações e estudos para a implantação de medidas que consolidem o Programa Biodiesel, por meio da aquisição de óleo de mamona e construção de usinas para a produção do combustível”, revela Susana em contato com Stúdio Rural, enfatizando que diversas outras ações foram desenvolvidas.

Fonte : Stúdio Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top