ONG promove curso para jovens agricultores em Barra de Santa Rosa

Cultivando vida saudável no semiárido essa é a temática trabalhada pela ONG Xique-Xique style=mso-spacerun: yes>  através de um curso de capacitação que vem promovendo para jovens agricultores e agricultoras do município de Barra de Santa Rosa e Sossego, evento que está acontecendo em quatro módulos na sede daquela ONG que tem sede em Barra de Santa Rosa.

O tema foi evidenciado no Programa Universo Rural da Rádio Bonsucesso de Pombal nesta segunda-feira(14/02) e, segundo um dos organizadores da capacitação, vereador naquela cidade, Adriano Leite, as atividades nasceram com o objetivo de capacitar jovens agricultores e agricultoras para que possam, através do conhecimento adquirido, introduzir em suas unidades produtivas e começar a ter um diálogo mais fraterno em casa com a família para que efetivem transformações no semiárido enquanto espaço importante de produção mesmo diante das adversidades comuns na região.

O segundo módulo aconteceu na última sexta-feira, sábado e domingo(11, 12 e 13/02) e, segundo Adriano leite, o projeto Cultivando vida saudável no semiárido recebe apoio financeiro da Chesf, Banco do Nordeste, Sebrae e prefeitura daquele município e consiste em quatro módulos numa dinâmica de economia solidária, sendo o primeiro já acontecido com 30 horas; o segundo que está em execução e tratando a economia solidária e comércio justo; terceiro módulo evidenciando questões ambientais tomando como foco a retirada dos recursos naturais e as formas de procedências de convivência com a realidade; e o quarto e último módulo evidenciando desenvolvimento humano com propostas para o ser e suas ações no meio em que vive além de intercâmbios que estão sendo desenvolvidos em microrregiões do Estado da Paraíba momentos em que os componentes conhecem ações de produção sustentáveis.

Maria Amália da Silva é assessora da ONG Arribaçã, trabalha capacitações junto ao grupo e, ao conversar com Stúdio Rural, disse que vem sendo mostrado para os jovens o que é economia solidária, identificando os tipos de atividades existentes no Curimataú e mostrando formas de fortalecer as atividades, quem trabalha ou estuda, como é feito esse trabalho e quais as dificuldades que vêm sendo enfrentadas para que a partir dessas informações possa-se fortalecer planos de desenvolvimento dentro do território. “A partir do momento que eles começam a estudar como é que é o semiárido e como é que a gente pode trabalhar nele a gente já percebe que a intenção não é mais sair daqui pra ir tentar uma vida melhor em outro lugar, um lugar que eles talvez não gostem, não queiram sair daqui pra ir pra tão longe, então isso a agente percebe”, explica Amália, justificando que as atividades desenvolvidas vem fazendo com que cada componente entenda que a economia solidária trabalha com a diversidade nas formas de produção local.

Ysladjane Lins Pereira é componente da turma estudantil e garante que o curso tem tudo a ver com ela que cursa biologia na Universidade Federal de Campina Grande, Campus Cuité, com a visão de evoluir, mas sempre pensando no meio ambiente na dinâmica de desenvolvimento sustentável e garante que a capacitação está ajudando os componentes na escolha do curso e profissão a ser seguida. “Daqui pode sair vários profissionais que, de alguma forma, acabam se ligando como nessa dinâmica que a gente fez em que todos tinham sonhos diferente e ao mesmo tempo semelhantes porque todos focaram a preocupação com o meio ambiente, então é muito bom isso”, explica Lins Pereira, deixando como recado final que o conhecimento é tudo e que sem conhecimento a juventude não irá a lugar nenhum.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Universo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top