Palmas pra Queimadas evidencia culturas resistentes a praga da Cochonilha e fortalecimento da pecuária municipal

Agricultores e agricultoras pecuaristas do município de Queimadas, Agreste paraibano, participaram do 2º Dia de Campo Palmas Pra Queimadas em que foi evidenciado ações da prefeitura local com as variedades de palmas resistentes a praga da Cochonilha do Carmim a partir de um conjunto de ações desenvolvidas pela Secretaria de Agricultura daquele município.

Participando do Programa Domingo Rural e Programa Esperança no Campo, o secretário da pasta, José Aurélio Albuquerque Neto, fez uma avaliação do evento e falou sobre o conjunto das ações em políticas públicas desenvolvidas pela gestão para o fortalecimento da pecuária que se soma a agricultura e diversas outras atividades no campo e na cidade. “Foi um evento grandioso, muito bom para o produtor e criador do município de Queimadas onde na oportunidade eles puderam visualizar na prática o cultivo da palma forrageira resistente”, explica aquele gestor municipal garantindo tratar-se de um programa de multiplicação e distribuição de raquetes onde cada produtor que participa das capacitações recebe dez mil raquetes das variedades para que ele possa multiplicar em parceria, se beneficiar do processo e fazer repasse para outras famílias. “Vale salientar que no primeiro evento da Secretaria, no Programa Palmas Para Queimadas, nós distribuímos aproximadamente um milhão de raquetes, beneficiando em torno de cem produtores e priorizamos no primeiro evento os produtores que estão cadastrados no programa de inseminação artificial, levando-se em contas que esses animais já estão nascendo, as matrizes já estão parindo e já estão nascendo animais de qualidade, então é preciso de uma reserva alimentar”, comemora Aurélio em contato direto com nosso público ouvinte.  

Ele explicou que os participantes obedecem os critérios de participar da capacitação, plantar de acordo com as orientações dos técnicos da Secretaria e ao final do ciclo repassar a quantidade pré-estabelecida para que a gestão possa fazer o processo de distribuição para outros beneficiários. Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo