Patac e Rede Abelha promovem intercâmbio de agricultores sobre apicultura no Apodi do RN

O Patac, Programa de Aplicação de Tecnologias Apropriadas as Comunidades e a Rede Abelha promoveram um intercâmbio de agricultores paraibanos para conhecerem experiências de famílias agricultoras no Apodi do Rio Grande do Norte que já desenvolvem experiências na criação de abelhas, na produção de mel e agregação de valor aos produtos da apicultura daquela região potiguar.

O intercâmbio aconteceu do dia 18 a 22 de junho último e contou com a participação de agricultores vinculados ao Coletivo Regional de Educação Solidária do Cariri, Seridó e Curimataú, componentes das cidades de Soledade, Cubati e Pedra Lavrada dentre outros.

O agricultor Francisco Vital Batista, Chico Cassimiro, é morador da comunidade Canoa de Dentro de Pedra Lavrada, participou do evento e disse que foi uma oportunidade de conhecer experiências importantes que vem mudando para melhor a qualidade de vida das famílias agricultoras do Apodi e que podem ser também trabalhadas na agricultura paraibana melhorando a qualidade da produção e produtividade na região do Coletivo que conta com uma capacidade de floração diversificada durante toda a época do ano. “Com esses intercâmbios a gente aprende muita coisa, vê muita coisa bonita e aprende muita coisa porque desta forma a gente traz muitas coisas pra nossa comunidade”.

Edimilson Ferreira Pereira é agricultor no município de Cubati, participou do evento e ao ser entrevistado no Programa Domingo Rural deste domingo(05/07) falou sobre as experiências observadas no Apodi e quais as perspectivas de se implantar na agricultura aqui da Paraíba como forma de agregar valor ao nosso modelo de produção. “Foi importante demais porque foi uma integração da apicultura da Paraíba com a apicultura do Rio Grande do Norte, no caso do Apodi que tem uma apicultura bem forte, bem organizada, que já tem muitas associações, já tem até a cooperativa de beneficiamento de mel, estão registrando agora um entreposto que é um sonho muito antigo deles e é sonho da gente também, a gente foi mais pra adquirir essas experiências todas. Lá, pra você ter uma idéia, eles já estão exportando pra São Paulo e mandando pra Estados Unidos, Japão, pra Europa de um modo geral já que eles têm 350 mil quilos de mel, também estão beneficiando e integrando o caju com a abelha e o benefício da castanha onde eles já estão entregando o mel nas escolas e creches”, informa Ferreira Pereira ao dialogar com os ouvintes da Rádio Serrana de Araruna em conexão com a Rádio Cultura de São José do Egito e Rádio Independente FM do Cariri e garantiu que o trabalho de produção e conquista de mercado pelos agricultores daquela região mostra que a apicultura demonstra ser um mercado em franca expansão.

Edimilson informou que um trabalho vem sendo feito no sentido de conscientizar o agricultor paraibano no sentido de intensificar a produção do mel como forma de diversificar o modelo produtivo e ao mesmo tempo sensibilizar o consumidor sobre a importância de ter o mel como mais do que um produto medicamentoso e sim como sendo um alimento de ampla riqueza nutricional e medicamentosa. “O conselho que eu dou é que a gente tenha mais conhecimento a cerca do produto da abelha, do produto mel, que a abelha não faz mal, faz mel, então o que eu digo é o seguinte: acostume a família de todo nosso território do nosso Nordeste que acostume a própria família, o filhinho, a comer pelo menos uma colher de mel bem cedinho, uma ao meio dia e outra de noite, isso aí não é simplesmente um remédio, simplesmente um mel, ali é uma estrutura que vai fortalecer toda a família”, conscientiza e garante que o produto tem mercado garantido além de falar sobre o importante papel desempenhado pelo Patac em parceria com a Rede Abelha em integrar e dinamizar a agricultura familiar .

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top