Patrulha Mecanizada recupera estradas evitando desperdício da produção leiteira no Agreste pernambucano

Patrulhas mecanizadas, com 21 máquinas, iniciaram nesta terça-feira (20), em regime emergencial, a recuperação de estradas que ligam 29 municípios do Agreste, principais produtores de leite da região.

A informação é da assessora de comunicação da secretaria de agricultura pernambucana, Kátia Pinto, justificando que a notícia foi dada na manhã da segunda-feira(19) pelos secretários de Agricultura e Reforma Agrária, Ranilson Ramos, e de Transportes, Eugênio Sales, em encontro na Indústria da Perdigão/BRF Brasil Foods, em Bom Conselho.

Kátia informou que a medida foi vista com satisfação pelo coordenador de Logística de Transporte da Perdigão, Laurindo Zago, que veio de Santa Catarina para acompanhar a situação depois que produtores tiveram que jogar o leite fora porque não tinham como transportar o produto. “Este foi o segundo encontro para tratar da situação das vias locais que foram destruídas com as enxurradas ocorridas no início do mês, prejudicando a captação de 50 mil litros de leite ao dia dos produtores locais por falta de acesso para o transporte”, relata Pino.

Aquela jornalista informou que atualmente, a Perdigão faz a captação de 150 mil litros de leite ao dia, que até dezembro de 2010 este número deverá chegar aos 300 mil litros de leite dia e que hoje, 236 produtores com tanques individuais são fornecedores diretos da fábrica, além de outros 300 em tanques comunitários (associações e cooperativas). “A frota que coleta o leite é de 27 tanques rodoviários”, relata aquela comunicadora, acrescentando que os municípios atendidos estão num raio médio de 150 quilômetros e são: Águas Belas, Alagoinhas, Arcoverde, Belo Jardim, Bom Conselho, Brejão, Buíque, Caetés, Calçado, Capoeiras, Caruaru, Correntes, Garanhuns, Iati, Itaíba, Jucati, Jupi, Lagoa do Ouro, Lajedo, Paranatama, Pedra, Pesqueira, Quipapá, Saloá, São Bento do Una, São João, Teresinha, Tupanatinga, Venturosa.

Ela informou que dentre as estradas mais prejudicas está a PE-233, numa extensão de mais de 25 quilômetros, que dão acesso a Iati, Águas Belas, Itaíba, Tupanatinga, Buíque, Logrador dos Leões, cujo volume transportado de leite chega a 70 mil litros diários. “Outra rodovia prejudicada é a PE 214, ligando Barra do Brejo, Lagoa do Ouro e Correntes, cujo captação de leite é de 20 mil litros diários”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top