Peste suína ataca no Ceará e Defesa paraibana discute ações para controle de fronteiras

SR261218gO Estado do Ceará detectou recentemente mais focos de peste suína clássica o que já passa a contabilizar prejuízos para a economia daquele estado já que a doença atinge a suinocultura nos municípios Forquilha, Groaíras e Santa Quitéria.

Stúdio Rural entrevistou o gerente executivo da Defesa Agropecuária do governo paraibano, Rubens Tadeu de Araújo Nóbrega, falando sobre o que é a doença, sobre quais os possíveis danos à economia e à saúde das pessoas e dos próprios animais. “Foi detectado focos de peste suína clássica no Estado do Ceará, isso tem aproximadamente uns trinta dias, então, por determinação do Ministério da Agricultura, os estados que fazem fronteira a exemplo do Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco, nós estamos de alerta para evitar que esse problema venha pra nossos estados, então a Defesa Agropecuária não está permitindo, não está recebendo animais suídeos oriundos do Estado do Ceará, como também fiscalizando a origem de produtos de origem suídea”, explica Tadeu ao dialogar com nosso público ouvinte.

Conforme a Adagri, Agência de Defesa Agropecuária do Ceará, para conter a situação e investigar as causas da contaminação, aquela agência está atuando com uma força-tarefa composta de 20 técnicos para fazer inspeções nas propriedades onde foram encontrados os focos da doença. Já aqui na Paraíba o sentimento é de alerta já que a doença pode ser disseminada de várias formas, inclusive via transporte de animais contaminados. “Essas coisas não caem do céu, foi algum animal que entrou no Ceará ou vindo do Norte ou vindo lá de baixo de uma forma que eu não conheço já que é questão de foro da defesa agropecuária do Ceará, mas isso foi transmitido por outro animal e infelizmente aconteceu. Nós na Paraíba não temos esse problema, graças a Deus, mas para evitar essa contaminação nós estamos alerta na fronteira que divide com o Ceará”, explica em parte de seu amplo diálogo e acrescentou que o RN já chegou apreender animais e sacrificar. “Na semana passada tentaram entrar clandestinamente com um caminhão carregado com suínos e foi pego na fronteira com o Rio Grande do Norte, a Defesa Agropecuária do Rio Grande do Norte apreendeu esse caminhão e sacrificou quase cem animais”, reafirma.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo