Produtores criam condomínio de cabras leiteiras no semi-árido de Pernambuco

Dezesseis pequenos produtores da Associação Aprisco do Vale do município de Santa Maria da Boa Vista, em Pernambuco, se juntaram para dar início a um novo negócio: criar cabras leiteiras de forma coletiva. O empreendimento, financiado com recursos do Programa Nacional de Agricultura Familiar – Pronaf – aprovado pelo Banco do Nordeste, está instalado em uma área de 230 hectares e abriga um plantel de animais com aptidão leiteira, a exemplo das raças Saanen e Pardo Alpina.A informação foi repassada pelo assessor de comunicação da Embrapa Semi-árido, em Petrolina-PE, Marcelino Ribeiro, justificando que na opinião do pesquisador Daniel Maia Nogueira daquela unidade de pesquisas, Daniel Maia Nogueira, o negócio, ainda no começo, necessita de ajustes técnicos para melhorar a estrutura de produção e comercialização do leite. Ao contatar com Stúdio Rural, Ribeiro informou que esta fase do empreendimento tem a colaboração de técnicos do Sebrae e de pesquisadores da Embrapa que estão à frente do “Projeto Cabra” financiado pela Agência de Cooperação Internacional do Japão – JICA. O pequeno laticínio tornará os produtores em potenciais fornecedores para Prefeitura Municipal e o leite será destinado para a merenda escolar. A criação em condomínio também permite a introdução de inovações técnicas que, sem sobrecarregar o sistema, podem elevar a produção atual para acima de 120 litros ao dia, com uma média de produção na lactação de 1,5 a 1,8 litros por cabra ao dia. “Segundo Daniel Maia, a criação das cabras em condomínio tem uma vantagem: torna mais fácil o manejo dos animais e garante a produção mais uniforme do leite”, relata o jornalista.Ribeiro informou que as estações de monta ou de acasalamento dos animais são algumas das práticas de manejo reprodutivo levada para o condomínio com o objetivo de ter cabras em lactação durante todo o ano, prática orientada por Daniel Maia. “Os pesquisadores também irão realizar no condomínio a técnica de inseminação artificial, utilizando sêmen de reprodutores de aptidão leiteira, o que possibilitará a melhora dos níveis de produtividade do rebanho”, relata.Santa Maria da Boa Vista-PE é um município de grande potencial para a ovino-caprinocultura. Os rebanhos desses animais somam quase 80 mil cabeças criados em pequenas propriedades de forma extensiva. Com limitações de tecnologias de produção e de sanidade, e níveis de produtividade baixos, a maioria dos pecuaristas vive em condições de subsistência. A experiência do condomínio leiteiro vai resultar em mais desempenho dos animais e fará os produtores agregar valor à criação com o comércio de leite de cabra e derivados num mercado crescente na região e no país.Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top