Produtores de algodão do Pajeú pernambucano comemoram safra agroecológica 2019

Famílias agricultoras produtoras de algodão agroecológico e entidades da agricultura familiar dos municípios Sertânia, Afogados da Ingazeira e Serra Talhada se reuniram em festa comemorativa referente a safra agrícola 2019 do algodão em sistemas agroalimentares.

O evento aconteceu no último dia 29 de outubro na sede da Fetape, Federação dos Agricultores, no município de Serra Talhada, Sertão do Pajeú pernambucano, e contou com representações de entidades da pesquisa, extensão social das assessoras no projeto, dentre outras e foi espaço de comemorar os resultados da produção do algodão nesta safra, entrega de certificados, balanço do ano e falar sobre perspectivas para a safra 2020.

O presidente da Associação Agroecológica de Certificação Participativa do Pajeú e diretor do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Serra Talhada, Claudevan José dos Santos, participou do Programa Esperança no Campo e Domingo Rural falando sobre o evento e sobre o conjunto das atividades compartilhadas no evento e desenvolvidas ao longo de 2019. “Agora no último dia 29 a gente comemorou a festa da colheita e entrega de certificado para o agricultor que fez maior diversificação dentro de seu roçado, entrega de placa àquele agricultor que fez mais práticas dentro de seu roçado, então foi uma festa comemorativa e que ficou na história, principalmente do município de Serra Talhada e do Pajeú, que foi essa festa comemorando junto com os agricultores o resultado da colheita”, explica Claudevan em contato com nosso público ouvinte e garantindo que há expectativa de ampliação na safra 2020 do algodão integrado na diversidade da agricultura familiar.

Quem também participou de nossos programas radiofônicos foi o assessor da Embrapa junto ao projeto, Dalfran Gonçalves Vale, detalhando o conjunto das discussões trabalhadas no evento naquele território pernambucano e garante tratar-se de um projeto com perspectivas de aumento de área e público já que as famílias contabilizam resultados positivos nos sistemas diversificados agroalimentares. “A participação dos parceiros que estiveram lá, inclusive o sindicatos dos trabalhadores rurais de Mirandiba que também se fez presente, associado a um grande número de agricultores, e no momento a gente sentiu a satisfação dos agricultores em produzir um algodão com qualidade, algodão totalmente orgânico, livre de todo e qualquer produto químico e isso é o que deixou os agricultores bastante animados porque eles não pensavam jamais em voltar produzir algodão dessa forma”, explica Dalfran Vale em parte inicial de seu diálogo com nosso público ouvinte.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo